Minidicionário Livre da Língua Portuguesa

6 06 2011

Baixe o minidicionário da língua portuguesa, sem complicações, em PDF, neste endereço: http://hedraonline.posterous.com/minidicionario-livre-da-lingua-portuguesa

O dicionário, coordenado pelo professor de filologia da USP, M.M. Santiago-Almeida, conta com mais de 35 mil verbetes e todos os seus vocábulos foram doados para o BrOffice.org [versão brasileira do OpenOffice.org]. Servem de base, portanto, para o corretor ortográfico do processador de texto do projeto. Atualmente a equipe desenvolve aplicativos para tablets e smartphones e ferramentas que permitirão consulta e colaboração online.





Cartas “DE” e PARA” Fernando Pessoa

9 05 2011

Cartas “DE” e PARA” Fernando Pessoa

Ao Natal MercuryDurban, 7th. July, 1905 “The Man in the Moon”

Ao Punch

A Editora Inglesa

À Entreprise Luvisy

A Armando Teixeira Rebelo

A Augustine Ormond

A Álvaro Pinto, 25 de Abril de 1912

À Álvaro Pinto, 30 de Abril de 1912

À Álvaro Pinto, 1º de Maio de 1912

À Álvaro Pinto, 2 de Maio de 1912

Carta ao amigo Mário Beirão

Carta ao Diário de Notícias

Carta a Mário de Sá-Carneiro

Carta de Amor I

Carta de Amor II

Carta de Amor III

Carta de Amor IV

Carta de Amor V

Carta de Amor VI

Carta a João Gaspar Simões

Museu-Biblioteca Castro de Guimarães em Cascais

Carta a Adolfo Casais Monteiro

Carta à memória de Fernando Pessoa, Julho de 1936

Carta a Fernando Pessoa

 

Fonte: A Casa do Bruxo





Espólio Fernando PESSOA

10 01 2011

A Biblioteca Nacional portuguesa está colocando na web os escritos autógrafos de Pessoa. Já estão disponíveis, desde fevereiro/2006, imagens fac-similares dos poemas de Alberto Caeiro, o primeiro heterônimo, e — segundo Pessoa — o mestre dos outros e dele mesmo.

Clique aqui e acesse os cadernos de Fernando Pessoa 





Poetas Estrangeiros

31 12 2010

POETAS ESTRANGEIROS

 

Acesse Os Mais Populares:

Emily Dickinson

Robert Service

T. S. Eliot

William Butler Yeats

Robert Frost

W. H. Auden

Dorothy Parker

Sara Teasdale

E. E. Cummings

John Donne

Christina Rossetti

William Shakespeare

William Wordsworth

Amy Lowell

Paul Laurence Dunbar

Carl Sandburg

Ella Wheeler Wilcox

Edgar Lee Masters

George MacDonald

Siegfried Sassoon

 

PARA ACESSAR OUTROS POETAS CLIQUE: Todos os poetas »

Encontrar Poemas:

Poetas cujos sobrenomes começam com:
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z  | Ver Todas

Poemas cujos títulos começam com:
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z  | Ver Todas

Fonte: http://www.poetry.com/





Alice no País das Maravilhas – Lewis Carrol

21 12 2010

 

ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS – Lewis Carrol

Capítulo 1: Para baixo na toca do coelho
Capítulo 2: A lagoa de lágrimas
Capítulo 3: Uma corrida de comitê e uma longa história
Capítulo 4: O coelho manda Bill O Lagarto
Capítulo 5: Conselho de uma lagarta
Capítulo 6: Porco e pimenta

Capítulo 7: Um chá maluco
Capítulo 8: O jogo de críquete no campo da rainha
Capítulo 9: A história da falsa tartaruga
Capítulo 10: A dança da lagosta
Capítulo 11: Quem roubou as tortas?
Capítulo 12: O depoimento de Alice

 

Fonte: http://www.triplov.com/





LEITE DERRAMADO – Chico Buarque

10 11 2010

 

Uma semana após receber o Prêmio Jabuti de livro do ano, o livro ‘Leite Derramado’, escrito por Chico Buarque, recebeu nesta segunda-feira (08) o Prêmio Portugal Telecom de Literatura em Língua Portuguesa. A esposa de José Saramago, homenageado pelo evento, Pilar Del Rio, entregou o troféu ao cantor e compositor, que também ganhou R$ 100 mil de premiação.

-

 

Lacerda levou R$ 35 mil por seu ‘Outra vida’ e Armando Freitas Filho, que ficou com a terceira colocação, ganhou R$ 15 mil por ‘Lar’.

Saramago, falecido no último mês de junho, também estava entre os finalistas ao Portugal Telecom, com ‘Caim’, mas seu nome foi retirado da competição. A Fundação Saramago e a editora responsável pela publicação de ‘Caim’ no Brasil anunciaram que, após receber o Prêmio Nobel, Saramago desejou não participar de outras premiações.

“Quando José Saramago recebeu o Prêmio Nobel anunciou que não voltaria a aceitar nenhuma outra distinção literária porque são muitos os escritores que merecem prêmios e poucos os prêmios para distingui-los”, divulgou a Fundação em nota oficial. Durante a cerimônia, Pilar Del Rio também recebeu uma homenagem a seu marido.

A lista de finalistas ao prêmio foi divulgada em setembro, com dez títulos, e, além dos quatro já citados, incluia também os braisleiros ‘A passagem tensa dos corpos’ (Carlos de Brito Mello), ‘

Monodrama’ (Carlito Azevedo), ‘O filho da mãe’ (Bernardo Carvalho), ‘Olhos secos’ (Bernardo Ajzemberg) e ‘Pornopopéia’ (Reinaldo Moraes), além de ‘Avó Dezanove e o segredo do soviético’, do angolano Ondjaki.

O júri desta edição era formado por Alcides Villaça, Antonio Carlos Sechin, Benjamin Abdala Jr., Cristovao Tezza, José Castello, Leyla Perrone-Moisés, Lourival Holanda, Manuel da Costa Pinto, Regina Zilberman e Selma Caetano.

 

Saiba mais em José Saramago





UM FILME PARA NÃO LEITORES

22 10 2010




Leitura Digital – Domínio Público

29 09 2010

Oh! Bendito o que semeia
Livros à mão cheia
E manda o povo pensar!
O livro, caindo n’alma
É germe – que faz a palma,
É chuva – que faz o mar!

Castro Alves

 

 

Por ordem alfabética das obras:

 

A –  B –  C –  D –  E –  F –  G –H –I –J –L –M –N –O –P –  Q –  R –  S –T –U –V –W X Z –outros caracteres

 

Portal Domínio Público: 2077 livros

 

“Você, leitor, que pulsa
de vida e orgulho e amor,
assim como eu:
Para você, por isso,
Os cantos que aqui seguem!”

Walt Whitman

 

Algumas outras obras on line por ordem de autores  > > >  BIBLIOTECA VIRTUAL

Obras de  Poetas Estrangeiros

 





W X Z – Biblioteca Domínio Público

29 09 2010

Woyzeck -George Büchner

X e W -Artur Azevedo

Zadig ou o Destino -Voltaire

Zirma -Auta de Souza





V – Biblioteca Domínio Público

29 09 2010

Vai alta no céu a lua da Primavera -Alberto Caeiro

Vai-s’o meu amig’alhur sem mim morar -Dom Dinis

Valério -Machado de Assis

Valer-vos-ia, amigo, se hoj’ -Dom Dinis

Várias Histórias -Machado de Assis

Vedes, amigos, que de perdas hei -Afonso Sanches

Veeron-m’agora dizer -Afonso Eanes de Coton

Vênus! divina vênus! -Machado de Assis

Verba Testamentária -Machado de Assis

Verdade, mentira, certeza, incerteza -Alberto Caeiro

Verdades Singelas -Abade de Jazente

Verso e Reverso -José de Alencar

Versos a Inah -Auta de Souza

Versos Antigos (1885-1889) -Emílio de Menezes

Versos ligeiros -Auta de Souza

Vesperal -Coelho Netto

Viagem à roda de mim mesmo -Machado de Assis

Viagem ao Parnaso -Artur Azevedo

Viagem ao Parnaso -Artur Azevedo

Viagens de Gulliver -Jonathan Swift

Viagens na Minha Terra -João Batista da Silva Leitão de Almeida Garrett

Viagens na Minha Terra -João Batista da Silva Leitão de Almeida Garrett

Via-Láctea -Olavo Bilac

Via-Láctea -Olavo Bilac

Vida Urbana -Afonso Henriques de Lima Barreto

Vidros quebrados -Machado de Assis

Vila Rica -Cláudio Manuel da Costa (Glauceste Satúrnio)

Violeta -Casimiro de Abreu

Violeta -Raul Pompéia

Virginius -Machado de Assis

Visão -Casimiro de Abreu

Vive -Alberto Caeiro

Viver -Machado de Assis

Viver! -Machado de Assis

Vi-vos, madre, com meu amig’aqui -Dom Dinis

Volume 2: Adiós, Lite de Ratura -Paulo Vitor Grossi

Vós mi defendestes, senhor -Dom Dinis

Vós, que vos em vossos cantares meu -Dom Dinis

Vovó Andrade -Artur Azevedo

Vozes d’África -Antônio Frederico de Castro Alves

Vulcano e Minerva -José Cândido de Lacerda Coutinho





U – Biblioteca Domínio Público

29 09 2010

U noutro día seve Don Foán -Dom Dinis

Ubirajara -José de Alencar

Ubirajara -José de Alencar

Última estrela a desaparecer antes do dia -Alberto Caeiro

Última folha -Casimiro de Abreu

Última receita -Machado de Assis

Últimas Rimas -Emílio de Menezes

Último abraço -Antônio Frederico de Castro Alves

Último Capítulo -Machado de Assis

Últimos Sonetos -João da Cruz e Sousa

Últimos Sonetos -João da Cruz e Sousa

Últimos Sonetos -João da Cruz e Sousa

Um almoço -Machado de Assis

Um ambicioso -Machado de Assis

Um Apólogo -Machado de Assis

Um Apólogo -Machado de Assis

Um Assovio -Qorpo Santo

Um Assovio -Qorpo Santo

Um Cacete -Artur Azevedo

Um cão de lata ao rabo -Machado de Assis

Um Capitão de Voluntários -Machado de Assis

Um Capricho -Artur Azevedo

Um ciclone na Paulicéia: Oswald de Andrade e os limites da vida intelectual em São Paulo (1900 – 1950) -Rubens de Oliveira Martins

Um Credor da Fazenda Nacional -Qorpo Santo

Um Credor da Fazenda Nacional -Qorpo Santo

Um dedo de prosa, um pouco de verso -William Henrique Stutz

Um Desastre -Artur Azevedo

Um dia de chuva -Alberto Caeiro

Um dia de entrudo -Machado de Assis

Um dístico -Machado de Assis

Um Don Juan de Província -Artur Azevedo

Um Erradio -Machado de Assis

Um Especialista -Afonso Henriques de Lima Barreto

Um esqueleto -Machado de Assis

Um estudo de relatos de pesquisa em análise de gênero -Patrícia Marcuzzo

Um Homem Célebre -Machado de Assis

Um Homem Célebre -Machado de Assis

Um homem superior -Machado de Assis

Um incêndio -Machado de Assis

Um melodrama em Santo Tirso -M. Pinheiro Chagas

Um parto -Qorpo Santo

Um quarto de século -Machado de Assis

Um Que Vendeu a Sua Alma -Afonso Henriques de Lima Barreto

Um raio de luar -Antônio Frederico de Castro Alves

Um renque de árvores lá longe, lá para a encosta -Alberto Caeiro

Um Sarau no Paço de São Cristóvão -Paulo Setúbal

Um sonho -Auta de Souza

Um sonho e outro sonho -Machado de Assis

Um tal home sei eu, ai bem talhada -Dom Dinis

Um Tratado da Cozinha Portuguesa do Século XV -Anônimo

Uma águia sem asas -Machado de Assis

Uma Aposta -Artur Azevedo

Uma Campanha Alegre – Volume I -José Maria Eça de Queirós

Uma Carga de Sono -Artur Azevedo

Uma carta -Machado de Assis

Uma Estação no Inferno -Arthur Rimbaud

Uma excursão milagrosa -Machado de Assis

Uma gargalhada de rapariga soa do ar -Alberto Caeiro

Uma história -Casimiro de Abreu

Uma Lágrima de Mulher -Aluísio Azevedo

Uma Lágrima de Mulher -Aluísio Azevedo

Uma loureira -Machado de Assis

Uma noite -Machado de Assis

Uma ode de anacreonte -Machado de Assis

Uma partida -Machado de Assis

Uma por Outra -Artur Azevedo

Uma por outra -Machado de Assis

Uma Praga Rogada nas Escadarias da Fôrca -Camilo Castelo Branco

Uma primavera adiantada -Barbara Ganizev Jimenez

Uma Pupila Rica -Joaquim Manuel de Macedo

Uma Senhora -Machado de Assis

Uma tragédia no Amazonas -Raul Pompéia

Uma tragédia no Amazonas -Raul Pompéia

Uma Véspera de Reis -Artur Azevedo

Uma Véspera de Reis -Artur Azevedo

Uma Visita de Alcebíades -Machado de Assis

Umas Férias -Machado de Assis

Uns Braços -Machado de Assis

Uns Braços -Machado de Assis

Utopia -Thomas Morus





T – Biblioteca Domínio Público

29 09 2010

Tam muito mal mi fazedes, senhor -Dom Dinis

Tant’é Melión pecador -Dom Dinis

Tarde -Olavo Bilac

Tarde -Olavo Bilac

Tentação -Adolfo Caminha

Tentação -Adolfo Caminha

Teoria do Medalhão -Machado de Assis

Terpsícore -Machado de Assis

Teus anos -Auta de Souza

Textos críticos -Machado de Assis

Til -José de Alencar

Tipos Burlescos -Bruno Seabra

Tipos da atualidade -França Júnior

Tipos da atualidade -França Júnior

Tirana -Antônio Frederico de Castro Alves

Tiverton Tales -Alice Brown

To be or not to be -Machado de Assis

Toc, toc, toc, toc… -Artur Azevedo

Todas as opiniões que há sobre a natureza -Alberto Caeiro

Todas as teorias, todos os poemas -Alberto Caeiro

Todos os dias agora acordo com alegria e pena -Alberto Caeiro

Torrentes -Teophilo Braga

Trança loura -Auta de Souza

Tratado da Terra do Brasil -Pero de Magalhães Gândavo

Tratado da Terra do Brasil -Pero de Magalhães Gândavo

Tratado da Terra do Brasil: História da Província Santa Cruz a que Vulgarmente Chamamos Brasil -Pero de Magalhães Gândavo

Tratado descritivo do Brasil em 1587 -Gabriel Soares de Sousa

Três cantos -Casimiro de Abreu

Três conseqüências -Machado de Assis

Três Gênios de Secretária -Afonso Henriques de Lima Barreto

Três tesouros perdidos -Machado de Assis

Trina e uma -Machado de Assis

Trio em Lá Menor -Machado de Assis

Trio em Lá Menor -Machado de Assis

Triunfo da Morte -Francesco Petrarca

Troca de datas -Machado de Assis

Tropas e boiadas -Hugo de Carvalho Ramos

Tu, místico, vês uma significação em todas as cousas -Alberto Caeiro

Tu, só tu, puro amor -Machado de Assis

Tubarão com a faca nas costas. (Coleção literatura para todos; v.3) -Cezar Dias

Tudo passa -Auta de Souza

Tudo se muda: o génio unicamente -Abade de Jazente

Types of Children’s Literature -Walter Barnes





S – Biblioteca Domínio Público

29 09 2010

Sabina -Artur Azevedo

Sales -Machado de Assis

Sancta Virgo Virginum: Prece -Auta de Souza

Sancta Virgo Virginum: Prece -Auta de Souza

Sangue de africano -Antônio Frederico de Castro Alves

São Cristóvão -José Maria Eça de Queirós

Sarças de Fogo -Olavo Bilac

Sarças de Fogo -Olavo Bilac

Satíricos portugueses -João Ribeiro

Saudade -Auta de Souza

Saudades -Casimiro de Abreu

Schopenhauer -Thomas Mann

Se às vezes digo que as flores sorriem -Alberto Caeiro

Se depois de eu morrer -Alberto Caeiro

Se eu morrer novo -Alberto Caeiro

Se eu podess’ora meu coraçom -Dom Dinis

Se eu pudesse trincar a terra toda -Alberto Caeiro

Se gradoedes, amigo -Afonso Eanes de Coton

Se hoj’em vós há nenhum mal, senhor -Dom Dinis

Se o homem fosse, como deveria ser -Alberto Caeiro

Se quiserem que eu tenha um misticismo -Alberto Caeiro

Se veess’o meu amigo -Bernardo de Bonaval

Segredos -Casimiro de Abreu

Segundos Cantos e Sextilhas de Frei Antão -Antônio Gonçalves Dias

Seja o que for que esteja no centro do Mundo -Alberto Caeiro

Seleção de Obras Poéticas -Gregório de Matos

Seleção de Obras Poéticas -Gregório de Matos

Seleção de Obras Poéticas II -Gregório de Matos

Sempre que penso uma coisa, traio-a -Alberto Caeiro

Sempre sonhos!… -Casimiro de Abreu

Sempre vos eu doutra rem mais amei -Afonso Sanches

Sempr’eu, mia senhor, desejei -Dom Dinis

Senhor fremosa e de mui loução -Dom Dinis

Senhor fremosa, nom poss’eu osmar -Dom Dinis

Senhor fremosa, pois me vej’aquí -Afonso Eanes de Coton

Senhor fremosa, pois no coraçom -Dom Dinis

Senhor fremosa, por qual vos Deus fez -Dom Dinis

Senhor, cuitad’é o meu coraçom -Dom Dinis

Senhor, des quando vos vi -Dom Dinis

Senhor, dizen-vos por meu mal -Dom Dinis

Senhor, en tan grave día -Dom Dinis

Senhor, hoj’houvesse eu vagar -Dom Dinis

Senhor, nom vos pês se me guisar Deus -Dom Dinis

Senhor, pois me nom queredes -Dom Dinis

Senhor, pois que m’agora Deus guisou -Dom Dinis

Senhor, que de grad’hoj’eu querría -Dom Dinis

Senhor, que mal vos nembrades -Dom Dinis

Senhora em cordel -Isabel Lima

Senhora -José de Alencar

Senhora -José de Alencar

Sentimental demais -Salomão Rovedo

Sentimental -Salomão Rovedo

Serenatas e saraus -Alexandre José de Melo Morais Filho

Sermão da Dominga XIX depois do Pentecoste (1639) -Pe. Antônio Vieira

Sermão da Glória de Maria, Mãe de Deus -Pe. Antônio Vieira

Sermão da Primeira Dominga do Advento (1650) -Pe. Antônio Vieira

Sermão da Primeira Dominga do Advento (1650) -Pe. Antônio Vieira

Sermão da Primeira Dominga do Advento (1655) -Pe. Antônio Vieira

Sermão da Primeira Oitava de Páscoa -Pe. Antônio Vieira

Sermão da Primeira Sexta-Feira da Quaresma (1644) -Pe. Antônio Vieira

Sermão da Primeira Sexta-Feira da Quaresma (1651) -Pe. Antônio Vieira

Sermão da Quinta Dominga da Quaresma -Pe. Antônio Vieira

Sermão da Quinta Dominga da Quaresma -Pe. Antônio Vieira

Sermão da Segunda Dominga da Quaresma (1651) -Pe. Antônio Vieira

Sermão da Sexagésima -Pe. Antônio Vieira

Sermão das Cadeias de S. Pedro em Roma pregado na Igreja de S. Pedro. -Pe. Antônio Vieira

Sermão de Dia de Ramos (1656) -Pe. Antônio Vieira

Sermão de Nossa Senhora do Ó (1640) -Pe. Antônio Vieira

Sermão de S. Roque -Pe. Antônio Vieira

Sermão de Santa Catarina (1663) -Pe. Antônio Vieira

Sermão de Santa Catarina Virgem e Mártir -Pe. Antônio Vieira

Sermão de Santa Catarina Virgem e Mártir -Pe. Antônio Vieira

Sermão de Santa Teresa e do Santíssimo Sacramento -Pe. Antônio Vieira

Sermão de Santa Teresa -Pe. Antônio Vieira

Sermão de Santo Antônio -Pe. Antônio Vieira

Sermão de Santo Antônio -Pe. Antônio Vieira

Sermão de São Pedro -Pe. Antônio Vieira

Sermão de São Pedro -Pe. Antônio Vieira

Sermão de Todos os Santos -Pe. Antônio Vieira

Sermão do Bom Ladrão (1655) -Pe. Antônio Vieira

Sermão do Espírito Santo -Pe. Antônio Vieira

Sermão do Mandato (1643) -Pe. Antônio Vieira

Sermão do Mandato -Pe. Antônio Vieira

Sermão do Mandato -Pe. Antônio Vieira

Sermão do Quarto Sábado da Quaresma (1640) -Pe. Antônio Vieira

Sermão do Segundo Mandato -Pe. Antônio Vieira

Sermão dos Bons Anos -Pe. Antônio Vieira

Sermão dos Bons Anos -Pe. Antônio Vieira

Sermão Histórico e Panegírico nos Anos da Rainha D. Maria Francisca de Sabóia -Pe. Antônio Vieira

Sermão Histórico Panegírico nos Anos da Rainha D. Maria Francisca de Sabóia -Pe. Antônio Vieira

Sermão I – Maria, Rosa Mística -Pe. Antônio Vieira

Sermão II – Maria Rosa Mística -Pe. Antônio Vieira

Sermão II – Maria, Rosa Mística -Pe. Antônio Vieira

Sermão III – Maria Rosa Mística -Pe. Antônio Vieira

Sermão III – Maria, Rosa Mística -Pe. Antônio Vieira

Sermão IX – Maria Rosa Mística -Pe. Antônio Vieira

Sermão nas exéquias de D. Maria de Ataíde -Pe. Antônio Vieira

Sermão Nossa Senhora do Rosário com o Santíssimo Sacramento -Pe. Antônio Vieira

Sermão pelo Bom Sucesso das Armas de Portugal contra as da Holanda -Pe. Antônio Vieira

Sermão pelo Bom Sucesso das Armas de Portugal Contra as de Holanda -Pe. Antônio Vieira

Sermão Segundo do Mandato -Pe. Antônio Vieira

Sermão VI – Maria Rosa Mística -Pe. Antônio Vieira

Sermão VIII – Com o Santíssimo Sacramento Exposto Maria Rosa Mística -Pe. Antônio Vieira

Sermão X – Maria Rosa Mística -Pe. Antônio Vieira

Sermão XI Com o Santíssimo Sacramento Exposto -Pe. Antônio Vieira

Sermão XII (1639) -Pe. Antônio Vieira

Sermão XIII -Pe. Antônio Vieira

Sermão XIV (1633) -Pe. Antônio Vieira

Serões da província -Júlio Dinis

Sete de setembro -Casimiro de Abreu

Silva: quadros e livros um artista caipira -Romildo Sant’Anna

Silvestre -Machado de Assis

Sim, talvez tenha razão -Alberto Caeiro

Sim: existo dentro do meu corpo -Alberto Caeiro

Símbolos -Emílio de Menezes

Simples -Auta de Souza

Sinais de vida no planeta Minas -Fernando Gabeira

Singular Ocorrência -Machado de Assis

Singularidades de uma Rapariga Loura -José Maria Eça de Queirós

Singularidades de uma Rapariga Loura -José Maria Eça de Queirós

Só a natureza é divina -Alberto Caeiro

-António Nobre

-Machado de Assis

Soledade -Auta de Souza

Soneto (des)pejado -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto anal -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto anticlerical -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto ao Árcade França -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto ao Árcade Lereno -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto ao leitão -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto arcádico -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto da amada gabada -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto da beata esperta -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto da cagada -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto da cópula canina -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto da cópula esculpida -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto da donzela ansiosa -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto da escultura escandalosa -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto da mocetona pudibunda -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto da porra burra -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto da puta assombrosa -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto da puta novata -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto das glórias carnais -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto do coito interrompido -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto do corno choroso -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto do corno interesseiro -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto do diálogo conjugal -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto do gozador coçador -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto do gozo vitorioso -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto do juramento -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto do lascivo pezinho -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto do membro monstruoso -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto do mouro desmoralizado -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto do padre patife -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto do pau decifrado -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto do prazer efêmero -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto do prazer maior -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto do pregador pecador -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto do velho escandaloso -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto dramático -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto maçônico -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto matinal -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Soneto Napoleônico -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Sonetos e Outros Poemas -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Sonetos Inéditos -Cláudio Manuel da Costa (Glauceste Satúrnio)

Sonetos -Luís Vaz de Camões

Sonhando -Casimiro de Abreu

Sonhos de virgem -Casimiro de Abreu

Sonja Sonrisal -Salomão Rovedo

Sonriendo -C. Wagner

Sou um guardador de rebanhos -Alberto Caeiro

Sova bem Merecida -Artur Azevedo

Stefan Zweig: pensamentos e perfis -Salomão Rovedo

Suje-Se, Gordo! -Machado de Assis

Suje-Se, Gordo! -Machado de Assis

Súplica -Auta de Souza

Suspiros Poéticos e Saudades -Domingos Gonçalves de Magalhães

Sylvio -Auta de Souza





R – Biblioteca Domínio Público

29 09 2010

 

Recanto aprazível: poesias 2008 -Valdecir de Oliveira Anselmo

Recendência – poesias -Valdecir de Oliveira Anselmo

Recordações do Escrivão Isaías Caminha -Afonso Henriques de Lima Barreto

Recuerdo -Auta de Souza

Redondilhas -Luís Vaz de Camões

Regina Coeli -Auta de Souza

Regina Martyrum -Auta de Souza

Relação do Piloto Anônimo -Anônimo

Relação do Piloto Anônimo -Anônimo

Reliquiae -Florbela Espanca

Relíquias da Casa Velha -Machado de Assis

Relíquias da Casa Velha -Machado de Assis

Relíquias da Casa Velha -Machado de Assis

Reminiscências -Visconde de Taunay

Remissão de Pecados -Joaquim Manuel de Macedo

Renascimento -Auta de Souza

Renato -Auta de Souza

Ressureição -Machado de Assis

Retalhos -Rilvan Batista de Santana

Rimas -Auta de Souza

Rimo quando calha -Alberto Caeiro

Ritmos e idéias -Luís Murat

Roga-m’hoje, filha, o voss’amigo -Dom Dinis

Rogério Duprat: sonoridades multiplas -Regiane Gaúna

Romance de uma Velha -Joaquim Manuel de Macedo

Romances tocantinenses: uma abordagem crítica -Flávio Alves da Silva

Rosa murcha -Casimiro de Abreu

Rosas com espinhos (contos) -Rilvan Batista de Santana

Róseo menino -Auta de Souza

Rozaura, a enjeitada -Bernardo Guimarães

Ruy de Leão -Machado de Assis

Ruy: o escudeiro -Luís da Silva Mousinho de Albuquerque