Hamlet

hamlet-48Hamlet é uma das peças de teatro mais famosas de Shakespeare. Foi escrita entre 1600 e 1602 e impressa pela primeira vez em 1603. Essa obra é certamente a mais bem sucedida história de vingança levada aos palcos. Desde o início ela coloca o público ao lado do jovem príncipe – porque o ato da vingança que Francis Bacon definiu como uma “forma selvagem de fazer justiça” sempre seduziu a todos. Hamlet sente-se um reparador de injustiça, um homem com uma missão: dedicar à vingança todos os momentos de sua vida, mesmo que tenha que sacrificar seu amor por Ofélia e ainda ter que tirar a vida de outras pessoas. Talvez seja essa obsessão, essa monomania que toma conta dele desde as primeiras cenas do primeiro ato, que eletrize os espectadores e faz com que eles literalmente bebam todas as palavras do príncipe vingador.

Hamlet é o personagem que mais fala na obra de Shakespeare, recita 1.507 linhas.

 

RESUMO DA OBRA

 

“Um príncipe com insônias passeia pelas muralhas do castelo, quando numa noite assombrada no alto da torre do castelo aparece o fantasma de seu pai recentemente falecido  dizendo que foi morto pelo seu tio que dorme com a mãe. Para Hamlet a existência tornara-se insuportável desde então.

 O fantasma, tétrico, reclamava desforra. Seu próprio irmão, o rei Cláudio, o matara. Atordoou-se o príncipe. Seu lar abrigava a traição e a maldade. A serpente acoitara-se na sua própria família. O mundo era injusto. O assassino, seu tio, não só usurpara o trono como arrastara sua mãe, a rainha Gertrudes, para um casamento feito às pressas, onde suprema ignomínia serviu-se “os manjares” que, um pouco antes, ainda mal esfriados, tinham sido oferecidos “na refeição fúnebre”. Algo deveria ser feito. Faltava, porém a Hamlet o talento para a ação. O máximo que conseguiu de imediato, além de aferrar-se ao luto e ao mau humor, foi entregar-se especulativamente à vingança.

No intuito de ter mais tempo para arquitetar a sua vingança­, Hamlet finge que está louco. Depois de ter certeza da culpa do seu tio Claudius, várias pessoas acabam sendo mortas, inclusive o seu grande amor, Ofélia, filha do zeloso escudeiro da família Polônio.

Ao final de um duelo com Laertes, filho de Polônio, que acreditava ser Hamlet o culpado da morte do pai, ambos acabam morrendo e junto com eles Claudius e Gertrudes, mãe de Hamlet, que dá a vida por seu filho, ao beber uma taça de vinho envenenada que seria dada a ele pelo traidor Claudius”.

 hamlet

Uma cena de Hamlet, retratando o momento em que a culpa de Claudius é revelada. Desenho de Daniel Maclise (1842)

 

PERSONAGENS 

CLAUDIO, rei da Dinamarca; HAMLET, filho do defunto rei e sobrinho do rei reinante; FORTIMBRAS, príncipe da Noruega; HORÁCIO, amigo de Hamlet; POLÔNIO, camareiro-mor; LAERTES, seu filho; VOLTIMANDO, cortesão; CORNÉLIO,cortesão; ROBENCRANTZ,cortesão; GUILDENSTERN, cortesão; OSRICO; Um nobre; Um padre; BERNARDO,oficial; MARCELO, oficial; FRANCISCO, soldado; REINALDO, criado de Polônio; Um capitão; Embaixadores ingleses; Atores, coveiros; GERTRUDES, rainha da Dinamarca, mãe de Hamlet; OFÉLIA, filha de Polônio; Nobres, senhoras, oficiais, soldados, marinheiros, mensageiros e criados; O Fantasma do pai de Hamlet.

 

TEMPO E ESPAÇO

 

O tempo e o espaço são delimitados, as cenas são muito rápidas devido a obra ter sido escrita para teatro.

 

INTERTEXTUALIDADES

HAMLET IV: ” O mundo está fora dos eixos. Oh maldita sorte! Por que eu nasci para coloca-lo em ordem!”

 

DOM QUIXOTE, XIX: “… é o meu exercício andar pelo mundo endireitando tortos e desfazendo agravos.”

Marli Savelli de Campos

4 respostas

12 09 2009
tejo

Dos trabalhos de Shakespeare que conheço, esse é o favorito. Até versão em quadrinhos tive. É o drama do princípe, nobre mas atormentado por fantasmas (reais, ou figurados?), que acaba por permitir que a vingança destroce sua vida e a daqueles ao seu redor.

13 09 2009
Palavras Rabiscadas

Versão em quadrinhos de Shakespeare deve ser maravilhosa!! Particularmente eu adoro história em quadrinhos, quando surgiu a novidade de estudar literatura brasileira em quadrinhos eu adorei, acho mais divertido, facilita a leitura, e com isso melhora o aprendizado.

Hamlet é um drama muito interessante, prende-nos em cada cena do enredo. Quanto ao assunto central – “a vingança” – trazendo para as nossas vidas, hoje – a vingança é recompensadora? Vale a pena?

Eu não faço, não planejo, não estudo nenhum tipo de vingança contra aqueles que me prejudicam, seja de uma forma ou de outra. Eu acredito fielmente na “ lei da semeadura” – o que se planta, colhe. O próprio universo acaba por dar o retorno, não preciso agir com minhas próprias mãos.

Três fundamentos para Lei da Semeadura e Colheita:

1. Você colhe frutos da mesma espécie da semente que você plantou.
2. Nunca colhemos na hora em que semeamos;
3. A colheita é sempre maior que a semeadura.

Todos os dias plantamos, todos os dias colhemos, coisas boas e ruins…

Abraços. Marli.

3 08 2010
Ricardo Victor T.S

Você está de parabéns. O meu sonho literario é o livro Hamlet.

18 11 2012
Lucas

como faço pra ler este? ele redireciona para mesma página quando clico.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: