SE – Tagore

Se não podes ser águia altiva nas nuvens,
sê passarinho brincalhão no vale.
Se não podes ser árvore,
sê cana sóbria e ágil.

Se não podes ser poderoso,
sê homem simples e bom,
alimentado de sorrisos
e cantos dos que ao teu lado vivem.

A felicidade não chegará
pela grandiosidade do que tu sejas,
mas pela verdade que encontres
naquilo que tu possas ser.

.

Robindronath TAGORE  (em idioma bengalí, রবীন্দ্রনাথ ঠাকুর), nascido em Calcutá,  7 de maio de 1861 , e morrido em Santiniketon,  7 de agosto de 1941. Foi escritor, poeta e músico indiano.

Anúncios
Esse post foi publicado em Poemas e Poesias. Bookmark o link permanente.

5 respostas para SE – Tagore

  1. Prof. José PAZ RODRIGUES disse:

    Cara Marli :
    Entrei para ver informações sobre a Cecília Meireles e Tagore e encontrei o seu belo poema dedicado a Tagore. Que é muito lindo. O mesmo trouxe-me nostâlgia (morrinha ou saudade) da minha terra. Eu estou nesta altura precisamente em Santiniketon (“Morada da Paz”), Bengala-Índia. Onde Tagore criou em 1901 a primeira escola nova do Oriente. É este um lugar muito formoso e o centro educativo tagoreano é um imenso bosque e jardim, com mais de seis mil estudantes de todas as idades. Desde 2001 venho acá todos os anos por três meses. Desde a Galiza (Espanha), onde nasceu o nosso belo idioma galego-português. Eu sou um experto mundial sobre Tagore e tenho na minha cidade de Ourense a melhor biblioteca do mundo dedicada a Tagore, com mais de trinta mil volumes em todas as linguas. Tenho todas as edições brasileiras tambem. Desde 1966, não deixei de ler a Robindronath Tagore. Sei ler e escrever bengalí (de nome Bangla). Mas, o meu idioma é o que na Galiza denominamos galego e nos paises da lusofonia se chama português. Espero com ilusâo a sua resposta. Com os meus melhores cumprimentos. Prof. José Paz desde Santiniketon (Bengala Occidental-India)

    Curtir

  2. Marli disse:

    Olá prof. José Paz Rodrigues, é um prazer recebê-lo no meu blog, mais, é um privilégio, estou muito feliz!

    Em quão longínqua terra que se encontra!?… A internet nos proporciona o milagre da comunicação.

    Este poema de Tagore está entre os meus favoritos, dos publicados aqui no blog. Fico agradecida pelas riquíssimas informações que nos transmitiu sobre este poeta, fiquei curiosa em saber até mais… Como experto mundial sobre Tagore, seria interessante que fizesse um blog a respeito da vida dele, fotos dos lugares que você mencionou, e suas obras. É uma ferramenta prática e de fácil acesso a todos!

    Para mim, será um deleite poder acompanhar toda a trajetória deste escritor, poeta e músico indiano, que eu passei a admirar. Volte mais vezes!

    Grata pela visita,
    grande abraço.

    Curtir

  3. Prof. José PAZ RODRIGUES disse:

    Cara Marli :
    Venho de ler sua resposta ao meu comentário sobre o poema Se e levei uma grande alegria. Continuo morando na Santiniketon (Morada da Paz) tagoreana. Este é um verdadeiro paraíso, com um clima excelente nesta altura. Nos últimos dias houve aquí uma grande feira chamada de “Poush Mela”. Como todos os anos, foi visitada por milheiros de pessoas vindas de toda a Índia. Esta feira, na que o artesanato indiano e bengalí é o mais importante que se amostra, já fora criada pelo pai de Robindronath, Devendronath Tagore, a finais do século dezanove. Para dar saida aos numerosos produtos dos artesãos da comarca. Eu regresso para a minha Terra, Galiza, com a primavera (no Brasil é outono) o próximo 29 de março. O ano que vêm de começar foi declarado como Ano Tagore, por cumprir-se os 150 anos do seu nascimento e os 70 do seu falecimento. Está previsto um amplo programa de actividades em todo o mundo arredor da figura excepcional de Tagore. Em algumas tenho que participar eu. Quando regresse à minha cidade de Ourense, gostaria de ter o seu endereço postal para poder enviar-lhe artigos meus sobre Tagore. Algum dia tenho que viajar a Brasil para pescudar sobre o relacionamento entre a Cecília Meirelles e Robindronath. Precisamente hoje, por acaso, encontrei na revista The Modern Review de Calcutá, em inglês, um artigo muito interessante sobre a Cecília escrito em 1925 por um tal A.A. Pinto. Sei que seria interessante ter eu um meu blog, mas de momento as minhas múltiples ocupações impedem-me polo a andar. Estou a preparar o que vai ser o primeiro livro no mundo que recolha na sua íntegra os escritos educativos de Tagore. Vai ser publicado por uma editora de Barcelona em versão castelhana e depois portuguesa. Muitos dos escritos, ademais de dispersos, estão em Bangla (bengalí) e há que passa-los a castelhano e português. A mesma editora pretende publicar mais livros de e sobre Tagore, coordenados por mim. Um blog daria-me muito trabalho, pois ademais continuo a publicar infinidade de artigos sobre Índia e outros temas no jornal da minha cidade (La Región-A Região) e em outras muitas revistas galegas e espanholas. Se quere que lhe envie alguma coisa desde este lugar maravilhoso, não duvide por um momento em solicitar-mo e se me da a conhecer o endereço postal, mandaria desde este lugar da Bengala Ocidental indiana. A Oriental é Bangladesh que visitarei por terceira vez o próximo dia 15 de janeiro. Estarei alí por volta de sete dias e visitarei de novo os lugares e paços de Tagore. Um grande abraço tagoreano do Prof. José PAZ
    N.B.: Lembre que na Galiza o primeiro apelido é o do pai e o meu é Paz, pelo que sou conhecido, e aquí admirado, pois a primeira parte do nome de SANTIniketon significa PAZ (Santi). Se entrar em Google e escrever José Paz Tagore há poder ver muitos artigos meus publicados na Galiza. Deve entrar em páginas em português, que é seu e meu idioma. Bem lindo, por certo.

    Curtir

  4. Prof. José Paz Rodrigues disse:

    Cara Marli :
    Ontem cometi um pequeno erro no meu correio. O ano da revista onde aparece o artigo sobre a Cecília não é o 1925 senão o 1928. Na internete há muitos artigos meus sobre Tagore e outros temas na web (página) do Portal Galego da Lingua. Pode você entrar na mesma, ver e ler. Quase que é um meu blog, no apartado de Opiniom. Um grande abraço tagoreano desde Santiniketon. Prof. José Paz.

    Curtir

  5. Marli disse:

    Olá, prof. José Paz (posso chama-lo assim? Como é conhecido aí?) Fiquei imensamente feliz com sua resposta. Andei pesquisando vagamente sobre os teus artigos, e pude encontrar vários, como você disse. Contudo, ainda não tive tempo de sentar calmamente para lê-los, mas farei, assim que possível, com todo prazer!…

    Quero participar da festa de Tagore, em cumprimento dos 150 anos de nascimento e 70 de falecimento, para isso, deixo meu blog à disposição. Por favor, me dê a honra! Para homenageá-lo, poderei publicar poemas de Tagore, ou algum outro material que queira disponibilizar, que considere interessante, fique à vontade.

    Se preferir enviar por e-mail, é este: palavrasrabiscadas@gmail.com

    Grande abraço,

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s