NOS SALÕES DO SONHO – Mário Quintana

Mas vocês não repararam, não?!
Nos salões do sonho nunca há espelhos…
Por quê?
Será porque somos tão nós mesmos
Que dispensamos o vão testemunho dos reflexos?
Ou, então
– e aqui começa um arrepio –
Seremos acaso tão outros?
Tão outros mesmos que não suportaríamos a visão daquilo,
Daquela coisa que nos estivesse olhando fixamente do outro lado,
Se espelhos houvesse!
Ninguém pode saber… Só o diria
Mas nada diz,
Por motivos que só ele conhece,
O misterioso Cenarista dos Sonhos!

Anúncios
Esse post foi publicado em Poemas e Poesias. Bookmark o link permanente.

2 respostas para NOS SALÕES DO SONHO – Mário Quintana

  1. Wesley disse:

    Textos assim, lidos uma única vez, dão a mesma sensação de se comer pudim de uma só vez, não se consegue sentir todo seu sabor. Li, re-li, li novamente e ainda acho que tem mais para ser percebido nele. Logo, só me resta le-lo novamente 🙂

    Curtir

  2. Palavras Rabiscadas disse:

    É verdade. Antes de colocá-lo na mesa para os leitores degusta-lo eu experimentei algumas vezes, depois vendo-o ali, me pareceu saboroso, provei mais um pouquinho, e não é enjoativo… 😉 Sente-se à mesa, fique à vontade!

    Abraços.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s