Desnudez

10 04 2010

DESNUDEZ

 No silenciar das horas nuas,
envolto ao desejo que inflama,
à decepção que fere, crua.
Ao amor que inspira,
à saudade que moldura.
Submersa na aflição,
no regozijo, na ternura
Despida de mim,
acaricio minha alma, faço pintura
do restou de outrora,
decifro as emoções que intua,
transformo-as em poesias,
e entrego por completo (tão tuas)
àqueles que me leem.

Marli Savelli

Anúncios

Ações

Information

3 responses

10 04 2010
TEJO

Muito bom- o poeta se “desnuda” para o leitor. A poesia é se mostrar nu. Sem disfarces.

10 04 2010
Palavras Rabiscadas

Esse despir deixa a alma leve…

9 06 2010
Desnudez « Aquario Literario

[…] Desnudez publicado no Palavras Rabiscadas em 10/04/2010. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: