ÓPERA FANTASMA – Paulo Leminski

1 10 2010

Nada tenho.

Nada me pode ser tirado.

Eu sou o ex-estranho,

O que veio sem ser chamado

E, gato, se foi

Sem fazer nenhum ruído.

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: