O BURRO SELVAGEM E O BURRO DOMÉSTICO – Fábula de Esopo

Um burro selvagem morria de inveja de um burro doméstico, o qual tinha ao seu dispor boas rações. Mas logo o burro selvagem começou a observar como era árduo o serviço que o outro era obrigado a fazer. Ele viu o coitado carregando pesados fardos e recebendo freqüentes açoites do seu proprietário, o qual usava um longo bastão para castigá-lo. Foi então que o burro selvagem verificou que sua inveja era infundada, tendo em vista o preço que o burro doméstico era obrigado a pagar pelas suas “vantagens”.

Moral: Nada existe para ser invejado num estilo de vida que provê certos confortos recebidos em troca de muita dor e sofrimento.

Anúncios
Esse post foi publicado em Fábulas e Reflexões e marcado . Guardar link permanente.

2 respostas para O BURRO SELVAGEM E O BURRO DOMÉSTICO – Fábula de Esopo

  1. SIMONE FONSECA disse:

    muito profundo…

    Curtir

  2. Marli disse:

    A inveja é sempre improdutiva e danosa, não é bem-vinda em nenhuma circunstância!…
    Que bom que esta fábula te fez refletir.
    Abraços,

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s