O Último Trato – Robindronath TAGORE

Certa manhã eu ia pela pedregosa estrada,
quando com a espada na mão, chegou o Rei em sua carruagem.
“Eu me vendo!”, gritei. O Rei pegou minha mão e disse:
“Sou poderoso, eu posso te comprar”. Mas de nada valeu o seu poder
e voltou sem mim na sua carruagem.

As casas estavam fechadas sob o sol do meio-dia
E eu vagava pelas ruas curvas,
quando um velho carregando um saco de ouro veio ao meu encontro.
Hesitou por um momento, e me disse: “Sou rico, posso te comprar”.
Uma a uma, ponderou as suas moedas. Mas eu voltei-lhe a espada e saí

Anoitecia e o campo do jardim estava todo em flor.
Um gentil rapaz apareceu diante de mim e me disse:
“Eu te compro com o meu sorriso”. Mas o seu sorriso empalideceu
e borrou-se nas suas lágrimas. E se voltou sozinho outra vez à sombra.

O sol reluzia na areia e as ondas do mar rompiam caprichosamente.
Uma criança estava sentada na praia brincando com as conchas.
Levantou a cabeça e, como se já me conhecesse, disse:
“Posso te comprar com nada”. Desde que fiz este trato, jogando, sou livre.

Revisado e Adaptado em 17/01/2011

Anúncios
Esse post foi publicado em Poemas e Poesias e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s