Verdades

VERDADES

Roubo do hoje a força
Fazendo nascer o amanhã
Da janela acompanho com olhar
As nuvens do céu.
De novo a sombra sinistra
Tolda tristemente meus sonhos.
Tua imagem me acompanha
Por todos os lugares por onde ando.
E em todos os momentos
É a tua presença que espanta
As brumas do desconhecido.
Não faço perguntas.
Tenho medo das respostas que já sei.
Liberta do invólucro físico
Devolverei a matéria ao pó de que fora feito.
Vivi meus três caminhos na terra.
Purgatório. Inferno. Céu.
Tudo de acordo com meus projetos,
Minhas atitudes,
Procurando não reincidir nos mesmos erros.
Agora – vago e espero
Entre ápodos e flagelos
O ressurgir da verdade 

Robindronath Tagore
Anúncios
Esse post foi publicado em Poema. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Verdades

  1. helio.rocca disse:

    Um lindíssimo poema existencial, adorei. Aplausos!!!

    Curtir

  2. Bom dia poetisa… que texto magnífico, roubar do hoje a força para sobreviver o amanhã, isso é lirismo puro e belo de si ler… sempre que tiver algo novo, avise-me… grande abraço.

    Curtir

  3. Olás, Helio e Felipe!

    Obrigada pelas visitas e comentários.

    Realmente é um belo poema de Tagore… Sentimentos universais:- mesmo que nos sentimos seguros no caminho, às vezes, percebemo-nos cegos ante às dúvidas. Qual a verdade?… Abraços,

    Curtir

  4. ROSE disse:

    Blog ma ra vi lho so, amo Rabindranath, seus texto me encantam, obrigada a você e a ele por tanta beleza. Com amor Rose

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s