V – Biblioteca Domínio Público

29 09 2010

Vai alta no céu a lua da Primavera -Alberto Caeiro

Vai-s’o meu amig’alhur sem mim morar -Dom Dinis

Valério -Machado de Assis

Valer-vos-ia, amigo, se hoj’ -Dom Dinis

Várias Histórias -Machado de Assis

Vedes, amigos, que de perdas hei -Afonso Sanches

Veeron-m’agora dizer -Afonso Eanes de Coton

Vênus! divina vênus! -Machado de Assis

Verba Testamentária -Machado de Assis

Verdade, mentira, certeza, incerteza -Alberto Caeiro

Verdades Singelas -Abade de Jazente

Verso e Reverso -José de Alencar

Versos a Inah -Auta de Souza

Versos Antigos (1885-1889) -Emílio de Menezes

Versos ligeiros -Auta de Souza

Vesperal -Coelho Netto

Viagem à roda de mim mesmo -Machado de Assis

Viagem ao Parnaso -Artur Azevedo

Viagem ao Parnaso -Artur Azevedo

Viagens de Gulliver -Jonathan Swift

Viagens na Minha Terra -João Batista da Silva Leitão de Almeida Garrett

Viagens na Minha Terra -João Batista da Silva Leitão de Almeida Garrett

Via-Láctea -Olavo Bilac

Via-Láctea -Olavo Bilac

Vida Urbana -Afonso Henriques de Lima Barreto

Vidros quebrados -Machado de Assis

Vila Rica -Cláudio Manuel da Costa (Glauceste Satúrnio)

Violeta -Casimiro de Abreu

Violeta -Raul Pompéia

Virginius -Machado de Assis

Visão -Casimiro de Abreu

Vive -Alberto Caeiro

Viver -Machado de Assis

Viver! -Machado de Assis

Vi-vos, madre, com meu amig’aqui -Dom Dinis

Volume 2: Adiós, Lite de Ratura -Paulo Vitor Grossi

Vós mi defendestes, senhor -Dom Dinis

Vós, que vos em vossos cantares meu -Dom Dinis

Vovó Andrade -Artur Azevedo

Vozes d’África -Antônio Frederico de Castro Alves

Vulcano e Minerva -José Cândido de Lacerda Coutinho





U – Biblioteca Domínio Público

29 09 2010

U noutro día seve Don Foán -Dom Dinis

Ubirajara -José de Alencar

Ubirajara -José de Alencar

Última estrela a desaparecer antes do dia -Alberto Caeiro

Última folha -Casimiro de Abreu

Última receita -Machado de Assis

Últimas Rimas -Emílio de Menezes

Último abraço -Antônio Frederico de Castro Alves

Último Capítulo -Machado de Assis

Últimos Sonetos -João da Cruz e Sousa

Últimos Sonetos -João da Cruz e Sousa

Últimos Sonetos -João da Cruz e Sousa

Um almoço -Machado de Assis

Um ambicioso -Machado de Assis

Um Apólogo -Machado de Assis

Um Apólogo -Machado de Assis

Um Assovio -Qorpo Santo

Um Assovio -Qorpo Santo

Um Cacete -Artur Azevedo

Um cão de lata ao rabo -Machado de Assis

Um Capitão de Voluntários -Machado de Assis

Um Capricho -Artur Azevedo

Um ciclone na Paulicéia: Oswald de Andrade e os limites da vida intelectual em São Paulo (1900 – 1950) -Rubens de Oliveira Martins

Um Credor da Fazenda Nacional -Qorpo Santo

Um Credor da Fazenda Nacional -Qorpo Santo

Um dedo de prosa, um pouco de verso -William Henrique Stutz

Um Desastre -Artur Azevedo

Um dia de chuva -Alberto Caeiro

Um dia de entrudo -Machado de Assis

Um dístico -Machado de Assis

Um Don Juan de Província -Artur Azevedo

Um Erradio -Machado de Assis

Um Especialista -Afonso Henriques de Lima Barreto

Um esqueleto -Machado de Assis

Um estudo de relatos de pesquisa em análise de gênero -Patrícia Marcuzzo

Um Homem Célebre -Machado de Assis

Um Homem Célebre -Machado de Assis

Um homem superior -Machado de Assis

Um incêndio -Machado de Assis

Um melodrama em Santo Tirso -M. Pinheiro Chagas

Um parto -Qorpo Santo

Um quarto de século -Machado de Assis

Um Que Vendeu a Sua Alma -Afonso Henriques de Lima Barreto

Um raio de luar -Antônio Frederico de Castro Alves

Um renque de árvores lá longe, lá para a encosta -Alberto Caeiro

Um Sarau no Paço de São Cristóvão -Paulo Setúbal

Um sonho -Auta de Souza

Um sonho e outro sonho -Machado de Assis

Um tal home sei eu, ai bem talhada -Dom Dinis

Um Tratado da Cozinha Portuguesa do Século XV -Anônimo

Uma águia sem asas -Machado de Assis

Uma Aposta -Artur Azevedo

Uma Campanha Alegre – Volume I -José Maria Eça de Queirós

Uma Carga de Sono -Artur Azevedo

Uma carta -Machado de Assis

Uma Estação no Inferno -Arthur Rimbaud

Uma excursão milagrosa -Machado de Assis

Uma gargalhada de rapariga soa do ar -Alberto Caeiro

Uma história -Casimiro de Abreu

Uma Lágrima de Mulher -Aluísio Azevedo

Uma Lágrima de Mulher -Aluísio Azevedo

Uma loureira -Machado de Assis

Uma noite -Machado de Assis

Uma ode de anacreonte -Machado de Assis

Uma partida -Machado de Assis

Uma por Outra -Artur Azevedo

Uma por outra -Machado de Assis

Uma Praga Rogada nas Escadarias da Fôrca -Camilo Castelo Branco

Uma primavera adiantada -Barbara Ganizev Jimenez

Uma Pupila Rica -Joaquim Manuel de Macedo

Uma Senhora -Machado de Assis

Uma tragédia no Amazonas -Raul Pompéia

Uma tragédia no Amazonas -Raul Pompéia

Uma Véspera de Reis -Artur Azevedo

Uma Véspera de Reis -Artur Azevedo

Uma Visita de Alcebíades -Machado de Assis

Umas Férias -Machado de Assis

Uns Braços -Machado de Assis

Uns Braços -Machado de Assis

Utopia -Thomas Morus





T – Biblioteca Domínio Público

29 09 2010

Tam muito mal mi fazedes, senhor -Dom Dinis

Tant’é Melión pecador -Dom Dinis

Tarde -Olavo Bilac

Tarde -Olavo Bilac

Tentação -Adolfo Caminha

Tentação -Adolfo Caminha

Teoria do Medalhão -Machado de Assis

Terpsícore -Machado de Assis

Teus anos -Auta de Souza

Textos críticos -Machado de Assis

Til -José de Alencar

Tipos Burlescos -Bruno Seabra

Tipos da atualidade -França Júnior

Tipos da atualidade -França Júnior

Tirana -Antônio Frederico de Castro Alves

Tiverton Tales -Alice Brown

To be or not to be -Machado de Assis

Toc, toc, toc, toc… -Artur Azevedo

Todas as opiniões que há sobre a natureza -Alberto Caeiro

Todas as teorias, todos os poemas -Alberto Caeiro

Todos os dias agora acordo com alegria e pena -Alberto Caeiro

Torrentes -Teophilo Braga

Trança loura -Auta de Souza

Tratado da Terra do Brasil -Pero de Magalhães Gândavo

Tratado da Terra do Brasil -Pero de Magalhães Gândavo

Tratado da Terra do Brasil: História da Província Santa Cruz a que Vulgarmente Chamamos Brasil -Pero de Magalhães Gândavo

Tratado descritivo do Brasil em 1587 -Gabriel Soares de Sousa

Três cantos -Casimiro de Abreu

Três conseqüências -Machado de Assis

Três Gênios de Secretária -Afonso Henriques de Lima Barreto

Três tesouros perdidos -Machado de Assis

Trina e uma -Machado de Assis

Trio em Lá Menor -Machado de Assis

Trio em Lá Menor -Machado de Assis

Triunfo da Morte -Francesco Petrarca

Troca de datas -Machado de Assis

Tropas e boiadas -Hugo de Carvalho Ramos

Tu, místico, vês uma significação em todas as cousas -Alberto Caeiro

Tu, só tu, puro amor -Machado de Assis

Tubarão com a faca nas costas. (Coleção literatura para todos; v.3) -Cezar Dias

Tudo passa -Auta de Souza

Tudo se muda: o génio unicamente -Abade de Jazente

Types of Children’s Literature -Walter Barnes





Q – Biblioteca Domínio Público

29 09 2010

 

Qual dos dois -Machado de Assis

Quand’eu ben meto femença -Dom Dinis

Quando a erva crescer em cima da minha sepultura -Alberto Caeiro

Quando está frio no tempo do frio -Alberto Caeiro

Quando eu morrer -Auta de Souza

Quando eu não te tinha -Alberto Caeiro

Quando tornar a vir a Primavera -Alberto Caeiro

Quando tu choras -Casimiro de Abreu

Quando vier a primavera -Alberto Caeiro

Quando?!… -Casimiro de Abreu

Quant’eu, fremosa mia senhor -Dom Dinis

Quant’há, senhor, que m’eu de vós parti -Dom Dinis

Quarta parte em Lisboa na Oficina de Miguel Deslandes, com todas as licenças e privilégio real -Pe. Antônio Vieira

Quarta parte, licenças e privilégio real -Pe. Antônio Vieira

Quase Ela deu o “sim”, mas… -Afonso Henriques de Lima Barreto

Quase ministro -Machado de Assis

Quatro quartetos da amada cidade de São Luis -Salomão Rovedo

Que coita houvestes, madr’e senhor -Dom Dinis

Que estranho que m’é, senhor -Dom Dinis

Que grave coita, senhor, é -Dom Dinis

Que mui gram prazer que eu hei, senhor -Dom Dinis

Que muit’há já que nom vejo -Dom Dinis

Que razom cuidades vós, mia senhor -Dom Dinis

Que soidade de mia senhor hei -Dom Dinis

Que trist’hoj’é meu amigo -Dom Dinis

Queixumes -Casimiro de Abreu

Quem Boa Cama Faz… -Machado de Assis

Quem Casa, Quer Casa -Luís Carlos Martins Pena

Quem Casa, Quer Casa -Luís Carlos Martins Pena

Quem Casa, Quer Casa -Luís Carlos Martins Pena

Quem conta em conto… -Machado de Assis

Quem ele era? -Artur Azevedo

Quem me dera que a minha vida fosse um carro de bois -Alberto Caeiro

Quem me dera que eu fosse o pó da estrada -Alberto Caeiro

Quem não quer ser lobo… -Machado de Assis

Quem vos mui bem visse, senhor -Dom Dinis

Quer’eu em maneira de proençal -Dom Dinis

Quero vos eu, mha irmana, rogar -Bernardo de Bonaval

Questão de vaidade -Machado de Assis

Quincas Borba -Machado de Assis

Quincas Borba -Machado de Assis

Quincas Borba -Machado de Assis

Quinhentos Contos -Machado de Assis

Quisera vosco falar de grado -Dom Dinis

Quix ben, amigos, e quer’e querrei -Dom Dinis





O – Biblioteca Domínio Público

29 09 2010

O 15 e o 17 -Artur Azevedo

O Abolicionismo -Joaquim Nabuco

O adeus de Teresa -Antônio Frederico de Castro Alves

O Alcaide de Santarém -Alexandre Herculano

O Alforge da Boa Razão -Bruno Seabra

O Alienista -Machado de Assis

O Alienista -Machado de Assis

O Alienista -Machado de Assis

O almada -Machado de Assis

O amor é uma companhia -Alberto Caeiro

O Anel de Polícrates -Machado de Assis

O Anjo Caído -João Batista da Silva Leitão de Almeida Garrett

O anjo das donzelas -Machado de Assis

O anjo Rafael -Machado de Assis

O Arco de Sant’ana -João Batista da Silva Leitão de Almeida Garrett

O Asa-negra -Artur Azevedo

O astrólogo -Machado de Assis

O Ateneu -Raul Pompéia

O Ateneu -Raul Pompéia

O Ateneu -Raul Pompéia

O Badejo -Artur Azevedo

O BAILE DO JUDEU -Inglês de Souza

O baile na flor -Antônio Frederico de Castro Alves

O baile! -Casimiro de Abreu

O balanceio de Lauro Maia -Miguel Ângelo de Azevedo (Nirez)

O bandolim da desgraça -Antônio Frederico de Castro Alves

O Banqueiro Anarquista -Fernando Pessoa

O Barão de Pituaçu -Artur Azevedo

O Barão de Pituaçu -Artur Azevedo

O Beija-Flor -Auta de Souza

O Bispo Negro -Alexandre Herculano

O Bobo -Alexandre Herculano

O Bote de rapé -Machado de Assis

O Brasil anedótico -Humberto de Campos

O Cabeleira -Franklin Távora

O Cabeleira -Franklin Távora

O Cabeleira -Franklin Távora

O Caçador de Esmeraldas -Olavo Bilac

O Caçador de Esmeraldas -Olavo Bilac

O Caçador Doméstico -Afonso Henriques de Lima Barreto

O Califa da Rua do Sabão -Artur Azevedo

O Califa da Rua do Sabão -Artur Azevedo

O Califa da Rua do Sabão -Artur Azevedo

O califa de platina -Machado de Assis

O caminho da porta -Machado de Assis

O caminho de Damasco -Machado de Assis

O Cancioneiro Português da Vaticana -Teophilo Braga

O cancioneiro portuguez da Vaticana -Teophilo Braga

O capitão Mendonça -Machado de Assis

O carro 13 -Machado de Assis

O caso Barreto -Machado de Assis

O caso da Viúva -Machado de Assis

O caso do Romualdo -Machado de Assis

O caso Traps: Presságio Funesto -Rolando Júnior

O Castelo da Faria -Alexandre Herculano

O Cemitério dos Vivos -Afonso Henriques de Lima Barreto

O Cemitério dos Vivos -Afonso Henriques de Lima Barreto

O Cemitério dos Vivos -Afonso Henriques de Lima Barreto

O Chapéu -Artur Azevedo

O ciúme -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

O Conde d’Abranhos -José Maria Eça de Queirós

O Cônego ou Metafísica do Estilo -Machado de Assis

O Cônego ou Metafísica do Estilo -Machado de Assis

O contrato -Machado de Assis

O coração -Antônio Frederico de Castro Alves

O Coração e o Beijo -Auta de Souza

O corpo feminino em debate -Maria Izilda Santos de Matos

O Cortiço -Aluísio Azevedo

O Cortiço -Aluísio Azevedo

O Cortiço -Aluísio Azevedo

O Coruja -Aluísio Azevedo

O crepúsculo sertanejo -Antônio Frederico de Castro Alves

O Crime do Padre Amaro -José Maria Eça de Queirós

O Crime do Padre Amaro -José Maria Eça de Queirós

O Cuco -Artur Azevedo

O cuecão de Chiquinho -José Felipe Nazário Júnior

O curioso caso dos quatro -Maikon Patrick Garcia

O D N A de Emanuel -Rilvan Batista de Santana

O declínio da tradição no espírito da subversão: o papel do intelectual, a literatura militante e a tradição literária brasileira nas crônicas de Lima Barreto (1881-1922) -Luiz Fernando Gomes

O defeito de família -França Júnior

O defeito de família -França Júnior

O Defunto -Thomaz Lopes

O Demônio Familiar -José de Alencar

O destinado -Machado de Assis

O Devanear do Céptico -Bernardo Guimarães

O dia da criação -Eduardo Alves da Silva

O dialeto caipira -Amadeu Amaral

O Dicionário -Machado de Assis

O Diletante -Artur Azevedo

O Diplomático -Machado de Assis

O Diplomático -Machado de Assis

O Dote -Artur Azevedo

O Duplo -Coelho Neto

O Duplo -Coelho Neto

O Elixir da Longa Vida -Honoré de Balzac

O Elixir do Pajé -Bernardo Guimarães

O Elixir do Pajé -Bernardo Guimarães

O Elogio da Mentira e outras histórias -Lycio de Faria

O empresário -Rilvan Batista de Santana

O Empréstimo -Machado de Assis

O Enfermeiro -Machado de Assis

O Enfermeiro -Machado de Assis

O enviado -Rilvan Batista de Santana

O Ermitão de Muquém -Bernardo Guimarães

O Ermitão do Muquém -Bernardo Guimarães

O Escravocrata -Artur Azevedo

O Escravocrata -Artur Azevedo

O escrivão Coimbra -Machado de Assis

O Espelho -Machado de Assis

O espelho reflecte certo -Alberto Caeiro

O Espírito -Artur Azevedo

O Esqueleto -Aluísio Azevedo

O estilo gótico na literatura: estudo da obra drácula, o vampiro da noite de Bram Stoker -Ana Claudia Brida

O Eu profundo e os outros Eus. -Fernando Pessoa

O Falso Dom Henrique V -Afonso Henriques de Lima Barreto

O fantasma e a canção -Antônio Frederico de Castro Alves

O Filho de Gabriela -Afonso Henriques de Lima Barreto

O Galã -Artur Azevedo

O Galo -Artur Azevedo

O Garatuja -José de Alencar

O Garimpeiro -Bernardo Guimarães

O Gaúcho -José de Alencar

O gondoleiro do amor -Antônio Frederico de Castro Alves

O gram viç’e o gram sabor -Dom Dinis

O Gramático -Artur Azevedo

O Guarani -José de Alencar

O Guardador de Rebanhos -Fernando Pessoa

O Homem -Aluísio Azevedo

O Homem -Artur Azevedo

O Homem dos Quarenta Escudos -Voltaire

O Homem que Sabia Javanês -Afonso Henriques de Lima Barreto

O Homem que Sabia Javanês e Outros Contos -Afonso Henriques de Lima Barreto

O hóspede -Antônio Frederico de Castro Alves

O Humor e a Ironia em Bernardo de Guimarães -Bernardo Guimarães

O imortal -Machado de Assis

O Ingênuo -Voltaire

O Jaó -Artur Azevedo

O Japão -Aluísio Azevedo

O Judas em Sábado de Aleluia -Luís Carlos Martins Pena

O Judas em Sábado de Aleluia -Luís Carlos Martins Pena

O Juiz de Paz da Roça -Luís Carlos Martins Pena

O Juiz de Paz da Roça -Luís Carlos Martins Pena

O Juiz de Paz da Roça -Luís Carlos Martins Pena

O juiz -Rilvan Batista de Santana

O laço de fita -Antônio Frederico de Castro Alves

O Lapso -Machado de Assis

O Lencinho -Artur Azevedo

O Liberato -Artur Azevedo

O Liberato -Artur Azevedo

O Livro da Lei -Aleister Crowley

O Livro de Cesario Verde -Cesario Verde

O Livro de Cesario Verde -José Joaquim Cesário Verde

O Livro de Cesário Verde -José Joaquim Cesário Verde

O livro de Jó -José Elói Ottoni

O Livro de uma Sogra -Aluísio Azevedo

O Livro de uma Sogra -Aluísio Azevedo

O Livro de uma Sogra -Aluísio Azevedo

O livro D’ele -Florbela Espanca

O Livro Derradeiro -João da Cruz e Sousa

O Livro Derradeiro -João da Cruz e Sousa

O livro e a América -Antônio Frederico de Castro Alves

O Lobisomem -Raymundo Magalhães

O Lobisomem -Raymundo Magalhães

O luar através dos altos ramos -Alberto Caeiro

O luar quando bate na relva -Alberto Caeiro

O machete -Machado de Assis

O maestro sacode a batuta -Alberto Caeiro

O Major Napoleão -M. Pinheiro Chagas

O Mambembe -Artur Azevedo

O Mandarim -José Maria Eça de Queirós

O Mandarim -José Maria Eça de Queirós

O marido da adultera -Lúcio de Mendonça

O Matuto -Franklin Távora

O melhor remédio -Machado de Assis

O Mercador de Veneza -William Shakespeare

O meu amig’, amiga, non quer’eu -Dom Dinis

O meu amigo há de mal assaz -Dom Dinis

O Meu Criado João -Artur Azevedo

O meu olhar azul como o céu -Alberto Caeiro

O meu olhar é nítido como um girassol -Alberto Caeiro

O Missionário -Inglês de Sousa

O Missionário -Inglês de Souza

O Mistério da Estrada de Sintra -José Maria Eça de Queirós

O mistério das cousas, onde está ele? -Alberto Caeiro

O Moço Loiro -Joaquim Manuel de Macedo

O Monstro e Outros contos -Humberto de Campos

O Monstro e Outros Contos -Humberto de Campos

O Movimento da Independência, -Oliveira Lima

O Mulato -Aluísio Azevedo

O Mulato -Aluísio Azevedo

O Mulato -Aluísio Azevedo

O Mundo como Está -Voltaire

O nadador -Antônio Frederico de Castro Alves

O Namorador ou a Noite de São João -Luís Carlos Martins Pena

O Navio Negreiro -Antônio Frederico de Castro Alves

O Navio Negreiro -Antônio Frederico de Castro Alves

O Navio Negreiro -Antônio Frederico de Castro Alves

O Noviço -Luís Carlos Martins Pena

O Noviço -Luís Carlos Martins Pena

O Noviço -Luís Carlos Martins Pena

O Número da Sepultura -Afonso Henriques de Lima Barreto

O Oráculo -Machado de Assis

O Pai -Machado de Assis

O País das Quimeras -Machado de Assis

O Palhaço -Artur Azevedo

O Parnaso Obsequioso e Obras Poéticas -Cláudio Manuel da Costa (Glauceste Satúrnio)

O Parocho da aldeia -Alexandre Herculano

O Passado, passado -Machado de Assis

O pastor amoroso -Fernando Pessoa

O pastor amoroso perdeu o cajado -Alberto Caeiro

O Paulo -Artur Azevedo

O Pecado -Afonso Henriques de Lima Barreto

O Penúltimo poema -Alberto Caeiro

O Poeta e a Inquisição -Visconde de Araguaia

O Primo Basílio -José Maria Eça de Queirós

O Primo Basílio -José Maria Eça de Queirós

O Primo Basílio -José Maria Eça de Queirós

O Primo da Califórnia -Joaquim Manuel de Macedo

O Primo da Califórnia -Joaquim Manuel de Macedo

O Príncipe de Nassau -Paulo Setúbal

O Príncipe de Nassau -Paulo Setúbal

O Príncipe Sapo -Adolfo Coelho

O programa -Machado de Assis

O Protocolo -Machado de Assis

O quarto dos dragões -Breno Pannia Espósito

O que é – simpatia -Casimiro de Abreu

O que é o Casamento? -José de Alencar

O que é o Casamento? -José de Alencar

O que nós vemos das cousas são as cousas -Alberto Caeiro

O que ouviu os meus versos -Alberto Caeiro

O que são as moças -Machado de Assis

O que são estrelas -Auta de Souza

O que vos nunca cuidei a dizer -Dom Dinis

O quê? -Casimiro de Abreu

O quê? Valho mais que uma flor -Alberto Caeiro

O Rei dos Caiporas -Machado de Assis

O Relógio de Ouro -Machado de Assis

O Retrato -Artur Azevedo

O Rio de Janeiro – Verso e Reverso -José de Alencar

O Rio de Janeiro 1877 -Artur Azevedo

O Rio de Janeiro em 1877 -Artur Azevedo

O Romance do Prata -Paulo Setúbal

O Romance do Prata -Paulo Setúbal

O Sá -Artur Azevedo

O Sacrifício -Franklin Távora

O Sacrifício -Franklin Távora

O sainete -Machado de Assis

O segredo -Antônio Frederico de Castro Alves

O Segredo de Augusta -Machado de Assis

O Segredo de Augusta -Machado de Assis

O Segredo do Bonzo -Machado de Assis

O Seminarista -Bernardo Guimarães

O seminarista -Bernardo Guimarães

O Sertanejo -José de Alencar

O sertanejo revisitado pela ficção de Euclides da Cunha -José Jonas Camelo de França

O Soldado -Alexandre Herculano

O soldado Jacob -José Joaquim Medeiros de Albuquerque

O sonhador -Salomão Rovedo

O Sonho das Esmeraldas -Paulo Setúbal

O Sonho das Esmeraldas -Paulo Setúbal

O Sonho do Conselheiro -Artur Azevedo

O Subterrâneo do Morro do Castelo -Afonso Henriques de Lima Barreto

O Subterrâneo do Morro do Castelo -Afonso Henriques de Lima Barreto

O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia -Alberto Caeiro

O Telefone -Artur Azevedo

O Teles e o Tobias -Machado de Assis

O tipo brasileiro -França Júnior

O tipo brasileiro -França Júnior

O tonel das dânaides -Antônio Frederico de Castro Alves

O toque das almas -Wilder Machado da Cruz

O Touro Branco -Voltaire

O Touro Negro -Aluísio Azevedo

O Tribofe -Artur Azevedo

O Tribofe -Artur Azevedo

O triste fim de Policarpo Quaresma -Afonso Henriques de Lima Barreto

O triste fim de Policarpo Quaresma -Afonso Henriques de Lima Barreto

O Turbilhão -Coelho Neto

O Turbilhão -Coelho Neto

O Último dia de um poeta -Machado de Assis

O Último Palpite -Artur Azevedo

O Único Assassinato de Cazuza -Afonso Henriques de Lima Barreto

O único mistério do Universo é o mais e não o menos -Alberto Caeiro

O Universo não é uma idéia minha -Alberto Caeiro

O Uraguai -José Basílio da Gama

O Vaqueano -Apolinário José Gomes Porto-Alegre

O Vaqueano -Apolinário José Gomes Porto-Alegre

O Velho da Horta -Gil Vicente

O Velho Senado -Machado de Assis

O vôo do gênio -Antônio Frederico de Castro Alves

O voss’amig’, ai amiga -Dom Dinis

O voss’amig’, amiga, vi andar -Dom Dinis

O voss’amigo tam de coraçom -Dom Dinis

Obra completa, 4º edição -José Joaquim Cesário Verde

Obras -Bento de Figueiredo Tenreiro Aranha

Obras completas de Almeida Garrett: lirica, volume II -João Baptista da Silva Leitão

Obras completas de Almeida Garrett: teatro, volume IV -João Baptista da Silva Leitão

Obras completas -Filinto Elísio de Sousa Ramalho

Obras completas -José de Sousa Monteiro

Obras completas, poesia I -Teophilo Braga

Obras completas, poesia II -Teophilo Braga

Obras completas, poesia IV -Teophilo Braga

Obras poéticas (nova edição) -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Obras Poéticas de Glauceste Satúrnio -Cláudio Manuel da Costa (Glauceste Satúrnio)

Obras poéticas -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Obras Seletas -Rui Barbosa

Obrigada! -Auta de Souza

Ocidentais -Machado de Assis

Ocidentais -Machado de Assis

Octogenário -Artur Azevedo

Ode ao dous de julho -Antônio Frederico de Castro Alves

Oimais quer’eu ja leixá-lo trobar -Dom Dinis

Olá, guardador de rebanhos -Alberto Caeiro

Olhos Azuis -Auta de Souza

Onda -Machado de Assis

Ondas e Outros Poemas Esparsos -Euclides da Cunha

Onde estás -Antônio Frederico de Castro Alves

Ontem à tarde um homem das cidades -Alberto Caeiro

Ontem o pregador de verdades dele -Alberto Caeiro

Onze anos depois -Machado de Assis

Ora vej’eu bem, mia senhor -Dom Dinis

Ora, senhor, nom poss’eu já -Dom Dinis

Oração da noite -Auta de Souza

Orações -Casimiro de Abreu

Orai por ele -Machado de Assis

Orraca López vi doente un día -Afonso Eanes de Coton

Os Brilhantes do Brasileiro -Camilo Castelo Branco

Os Bruzundangas -Afonso Henriques de Lima Barreto

Os Bruzundangas -Afonso Henriques de Lima Barreto

Os Bruzundangas -Afonso Henriques de Lima Barreto

Os canários -Auta de Souza

Os Ciúmes de um Pedestre ou o Terrível Capitão do Mato -Luís Carlos Martins Pena

Os Compadres -Artur Azevedo

Os deuses de casaca -Machado de Assis

Os Dez por Cento -Artur Azevedo

Os Dois Amores -Joaquim Manuel de Macedo

Os Dois Andares -Artur Azevedo

Os Dois ou o Inglês Maquinista -Luís Carlos Martins Pena

Os Escravos -Antônio Frederico de Castro Alves

Os esquecidos -Mayer Garção

Os Estrangeiros -Francisco de Sá de Miranda

Os fidalgos da casa mourisca -Júlio Dinis

Os Filhos do Padre Anselmo -António da Costa Couto Sá de Albergaria

Os Irmãos das Almas -Luís Carlos Martins Pena

Os Irmãos das Almas -Luís Carlos Martins Pena

Os Irmãos Leme -Paulo Setúbal

Os Irmãos Leme -Paulo Setúbal

Os Lobisomens -Manuel José Araújo Porto-Alegre

Os Lusíadas -Luís Vaz de Camões

Os Lusíadas -Luís Vaz de Camões

Os Maias -José Maria Eça de Queirós

Os Maias -José Maria Eça de Queirós

Os Noivos -Artur Azevedo

Os Noivos -Artur Azevedo

Os Óculos de Pedro Antão -Machado de Assis

Os Ouvidos do Conde de Chesterfield e o Capelão Goudman -Voltaire

Os pastores de Virgílio tocavam avenas e outras cousas -Alberto Caeiro

Os Pobres -Raul Brandão

Os quilombos -Ministério das Relações Exteriores

Os retirantes -José do Patrocínio

Os romances da semana -Joaquim Manuel de Macedo

Os Sertões -Euclides da Cunha

Os Sertões -Euclides da Cunha

Os Sertões -Euclides da Cunha

Os Sonhos d’Ouro -José de Alencar

Os Timbiras -Antônio Gonçalves Dias

Os três tempos do Édipo em Lacan e a terceira margem do rio em Rosa -Eduardo Benzatti do Carmo

Oswaldo -Auta de Souza

Outras Poesias -Augusto dos Anjos

Outro soneto ao França -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Outro Soneto do Prazer Efêmero -Manuel Maria de Barbosa du Bocage





N – Biblioteca Domínio Público

29 09 2010

 

Na Academia Brasileira de Letras -Machado de Assis

Na Arca -Machado de Assis

Na Capelinha -Auta de Souza

Na estrada -Casimiro de Abreu

Na Exposição -Artur Azevedo

Na fonte -Antônio Frederico de Castro Alves

Na Horta -Artur Azevedo

Na margem -Antônio Frederico de Castro Alves

Na primeira página -Auta de Souza

Na rede -Casimiro de Abreu

Não basta abrir a janela -Alberto Caeiro

Não Consultes Médico -Machado de Assis

Não consultes Médico -Machado de Assis

Não é mel para a boca do asno -Machado de Assis

Não me importo com as rimas -Alberto Caeiro

Não posso contar meus males -Frei Caneca

Não sei o que é conhecer-me -Alberto Caeiro

Não tenho pressa -Alberto Caeiro

Não tenho pressa: não a têm o sol e a lua -Alberto Caeiro

Natal -Auta de Souza

Navio que partes para longe -Alberto Caeiro

Negra Rosa & Outros Poemas -José Neres

Nem sempre sou igual no que digo e escrevo -Alberto Caeiro

Nem uma nem outra -Machado de Assis

Never more -Auta de Souza

No álbum de Dolores -Auta de Souza

No álbum de Eugênia -Auta de Souza

No álbum de J. C. M. -Casimiro de Abreu

No álbum do artista -Antônio Frederico de Castro Alves

No barco -Antônio Frederico de Castro Alves

No dia brancamente nublado entristeço -Alberto Caeiro

No entardecer dos dias de Verão, às vezes -Alberto Caeiro

No jardim -Casimiro de Abreu

No Jardim das Oliveiras -Auta de Souza

No lar -Casimiro de Abreu

No leito -Casimiro de Abreu

No meu prato que mistura de Natureza! -Alberto Caeiro

No monte -Antônio Frederico de Castro Alves

No País dos Ianques -Adolfo Caminha

No país dos ianques -Adolfo Caminha

No Templo -Auta de Souza

No túmulo dum menino -Casimiro de Abreu

Noemi -Auta de Souza

Noite cruel -Auta de Souza

Noite de Almirante -Machado de Assis

Noite de São João -Alberto Caeiro

Noite na Taverna -Manuel Antônio Álvares de Azevedo

Noite na Taverna -Manuel Antônio Álvares de Azevedo

Noite na Taverna -Manuel Antônio Álvares de Azevedo

Noites amadas -Auta de Souza

Noivado -Casimiro de Abreu

Nom me podedes vós, senhor -Dom Dinis

Nom poss’eu, meu amigo -Dom Dinis

Nom sei hoj’, amigo, quem padecesse -Dom Dinis

Non chegou, madre, o meu amigo -Dom Dinis

Non sei como me salv’a mia senhor -Dom Dinis

Nos campos -Antônio Frederico de Castro Alves

Nostro Senhor, hajades bon grado -Dom Dinis

Nostro Senhor, se haverei guisado -Dom Dinis

Notas do dia: commemorando -Afonso Arinos

Notas Semanais -Machado de Assis

Notas Semanais -Machado de Assis

Nova Viagem à Lua -Artur Azevedo

Nova Viagem à Lua -Artur Azevedo

Novalis e Álvares de Azevedo: jovens poetas no mundo romântico dos sonhos -Elaine Cristina Carvalho Duarte

Novas relíquias -Machado de Assis

Novela e Conto -Amadeu Amaral

Novos Cantos -Antônio Gonçalves Dias

Num dia excessivamente nítido -Alberto Caeiro

Num leque -Auta de Souza

Num meio-dia de fim de primavera -Alberto Caeiro

Numa e a Ninfa -Afonso Henriques de Lima Barreto

Numa e a Ninfa -Afonso Henriques de Lima Barreto

Nunca busquei viver a minha vida -Alberto Caeiro

Nunca Deus fez tal coita qual eu hei -Dom Dinis

Nunca mais -Auta de Souza

Nunca sei -Alberto Caeiro

Nunca vos ousei a dizer -Dom Dinis





M – Biblioteca Domínio Público

29 09 2010

Ma madre velida -Dom Dinis

Macário -Alvarez Azevedo

Macário -Manuel Antônio Álvares de Azevedo

Macário -Manuel Antônio Álvares de Azevedo

Macbeth -William Shakespeare

Madalena. (Coleção literatura para todos; v.1) -Cristiane Dantas

Madresilvas -Brasilio Machado

Madrid -M. Pinheiro Chagas

Mãe -José de Alencar

Mãe penitente -Antônio Frederico de Castro Alves

Maîtres de plaisir [construtores de imagens] -Jeferson Francisco Selbach

Mal por Mal… -Artur Azevedo

Mana Maria -Alcântara Machado

Manel Capineiro -Afonso Henriques de Lima Barreto

Manhã no Campo -Auta de Souza

Mano -Coelho Neto

Manuscrito de um Sacristão -Machado de Assis

Marcha Fúnebre -Machado de Assis

Marcha Fúnebre -Machado de Assis

Marginália -Afonso Henriques de Lima Barreto

Marginália -Afonso Henriques de Lima Barreto

Marginalidade, violência e testemunho nos contos de Marcelino Freire -Flávia Heloísa Unbehaum Ferraz

Maria -Antônio Frederico de Castro Alves

Maria Cora -Machado de Assis

Maria Dusá -Lindolfo Rocha

Maria Dusá -Lindolfo Rocha

Maria Madalena -Rilvan Batista de Santana

Maria Rosa Mística Excelências, Poderes e Maravilha do seu Rosário -Pe. Antônio Vieira

Maria Rosa Mística -Pe. Antônio Vieira

Mariana -Machado de Assis

Mariana -Machado de Assis

Marília de Dirceu -Tomáz Antônio Gonzaga

Marília de Dirceu -Tomáz Antônio Gonzaga

Marília de Dirceu -Tomáz Antônio Gonzaga

Mari’Mateu, ir-me quer’eu d’aquén -Afonso Eanes de Coton

Masterpieces of american wit and humor -Thomas L. Masson

Mater -Auta de Souza

Mateus e Mateusa -Qorpo Santo

Mattos, Malta ou Matta? -Aluísio Azevedo

Máximas, Pensamentos e Reflexões -Marquês de Maricá

Médico é Remédio -Machado de Assis

Médico é remédio -Machado de Assis

Meestre Nicolás, a meu cuidar -Afonso Eanes de Coton

Meia hora de cinismo -França Júnior

Meia hora de cinismo -França Júnior

Mel -Salomão Rovedo

Melancolia -Auta de Souza

Memorial de Aires -Machado de Assis

Memorial de Aires -Machado de Assis

Memorial de Aires -Machado de Assis

Memorial de um passageiro de bonde -Amadeu Amaral

Memorial de um Passageiro de Bonde -Amadeu Amaral

Memórias da Rua do Ouvidor -Joaquim Manuel de Macedo

Memórias de um Sargento de Milícias -Manuel Antônio de Almeida

Memórias de um Sargento de Milícias -Manuel Antônio de Almeida

Memórias de um Sargento de Milícias -Manuel Antônio de Almeida

Memórias e Cotidiano do Rio de Janeiro no Tempo do Rei: trechos selecionados das cartas de Luís Joaquim dos Santos Marrocos -Luís Joaquim dos Santos Marrocos

Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis

Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis

Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis

Menina e Moça -Bernardim Ribeiro

Mensagem -Fernando Pessoa

Mesura sería, senhor -Dom Dinis

Metafísica das Rosas -Machado de Assis

Meto-me para dentro, e fecho a janela -Alberto Caeiro

Meu amig’, u eu sejo -Dom Dinis

Meu amigo vem hoj’aqui -Dom Dinis

Meu amigo, nom poss’eu guarecer -Dom Dinis

Meu Pai -Auta de Souza

Meus oito anos -Casimiro de Abreu

Micrômegas -Voltaire

Migalhas de história portuguesa -M. Pinheiro Chagas

Milagre do Natal -Afonso Henriques de Lima Barreto

Miloca -Machado de Assis

Mimo de Anos -Auta de Souza

Minh’Alma e o Verso -Auta de Souza

Minha formação -Joaquim Nabuco

Minha formação -Joaquim Nabuco

Minha formação -Joaquim Nabuco

Minha mãe -Casimiro de Abreu

Minh’alma é triste -Casimiro de Abreu

Miss Dollar -Machado de Assis

Miss Dollar -Machado de Assis

Miss Kate -Cosme Velho

Missa do Galo -Machado de Assis

Missal -João da Cruz e Sousa

Missal -João da Cruz e Sousa

Mistério -Auta de Souza

Místico -Auta de Souza

Mocidade -Casimiro de Abreu

Mocidade e Morte -Alexandre Herculano

Mocidade e morte -Antônio Frederico de Castro Alves

Mocidade morta -Luis Gonzaga Duque Estrada

Momento literário -João do Rio

Morena -Auta de Souza

Moreninha -Casimiro de Abreu

Morta -Auta de Souza

Morta que Mata -Artur Azevedo

Mortalhas -Emílio de Menezes

Motta Coqueiro ou A pena de morte -José do Patrocínio

Mudo e quedo -Antônio Frederico de Castro Alves

Muitos anos depois -Machado de Assis

Mulheres: história e direitos -Jeferson Francisco Selbach

Munúsciulo Métrico -Cláudio Manuel da Costa (Glauceste Satúrnio)

Murmúrios da tarde -Antônio Frederico de Castro Alves