P – Biblioteca Domínio Público

29 09 2010

Paai Rengel e outros dous romeus -Afonso Eanes de Coton

Paga ou Morre! -Artur Azevedo

Página azul -Auta de Souza

Página triste -Auta de Souza

Páginas Críticas e Comemorativas -Machado de Assis

Páginas Recolhidas -Machado de Assis

Páginas Recolhidas -Machado de Assis

Pai Contra Mãe -Machado de Assis

Paisagens brasileiras -Visconde de Taunay

Palavras a alguém -Casimiro de Abreu

Palavras no mar -Casimiro de Abreu

Palavras Tristes -Auta de Souza

Pan-americano -Artur Azevedo

Panóplias -Olavo Bilac

Panóplias -Olavo Bilac

Papéis Avulsos -Machado de Assis

Papéis Avulsos -Machado de Assis

Papéis Velhos -Machado de Assis

Para além da curva da estrada -Alberto Caeiro

Para defender a pátria -Frei Caneca

Para não dizer, que não falei em flores -Marco Ramos

Paranóia delirante -Roberto Wagner Magalhães

Parecer de Concurso Literário -Emílio de Menezes

Pareceres de Machado de Assis -Machado de Assis

Passa uma borboleta por diante de mim -Alberto Caeiro

Passei toda a noite -Alberto Caeiro

Passou a diligência pela estrada, e foi-se -Alberto Caeiro

Pastor do monte, tão longe de mim com as tuas ovelhas -Alberto Caeiro

Patkull -Antônio Gonçalves Dias

Patriota? Não: só português -Alberto Caeiro

Paulino e Roberto -Artur Azevedo

PAULO -Bruno Seabra

Pedro Gobá -José Ezequiel Freire

Pedro Gobá -José Ezequiel Freire

Pegadas urbanas: Novo Hamburgo como palco do flâneur -Jeferson Francisco Selbach

Pelo passado -Auta de Souza

Pennas de Garça -Auta de Souza

Pensar em Deus é desobedecer a Deus -Alberto Caeiro

Pepita -Casimiro de Abreu

Pequetita -Artur Azevedo

Pera veer meu amigo -Dom Dinis

Perdão! -Casimiro de Abreu

Perfumes e amor -Casimiro de Abreu

Pero eu dizer quisesse -Dom Dinis

Pero que eu mui long’ estou -Dom Dinis

Peru versus Bolívia -Euclides da Cunha

Peru versus Bolívia -Euclides da Cunha

Peru versus Bolívia -Euclides da Cunha

Pesar mi fez meu amigo -Dom Dinis

Pesquisa sem frescura -Jeferson Francisco Selbach

Pétala dobrada para trás da rosa -Alberto Caeiro

Piedade Filial -Artur Azevedo

Pílades e Orestes -Machado de Assis

Pobre Cardeal! -Machado de Assis

Pobre Finoca -Machado de Assis

Pobre flor! -Auta de Souza

Pobres das flores dos canteiros dos jardins regulares -Alberto Caeiro

Pobres Liberais! -Artur Azevedo

Poema da mocidades seguido de Anjo do lar -M. Pinheiro Chagas

Poema da Virgem -Pe. José de Anchieta

Poema dos Feitos de Mem de Sá -Pe. José de Anchieta

Poemas -Alphonsus de Guimarães

Poemas -Alphonsus de Guimarães

Poemas -Cláudio Manuel da Costa (Glauceste Satúrnio)

Poemas -Cláudio Manuel da Costa (Glauceste Satúrnio)

Poemas da Morte -Emílio de Menezes

Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa

Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa

Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa

Poemas de Fagundes Varela -Luís Nicolau Fagundes Varela

Poemas de Fernando Pessoa -Fernando Pessoa

Poemas de Raul de Leoni -Raul de Leoni

Poemas de Ricardo Reis -Fernando Pessoa

Poemas de Ricardo Reis -Fernando Pessoa

Poemas em Inglês -Fernando Pessoa

Poemas Escolhidos -Cláudio Manuel da Costa (Glauceste Satúrnio)

Poemas Humorísticos e Irônicos -João da Cruz e Sousa

Poemas Inconjuntos -Fernando Pessoa

Poemas Irônicos, Venenosos e Sarcásticos -Alvarez Azevedo

Poemas Irônicos, Venenosos e Sarcásticos -Manuel Antônio Álvares de Azevedo

Poemas -Luís Nicolau Fagundes Varela

Poemas Malditos -Alvarez Azevedo

Poemas Malditos -Manuel Antônio Álvares de Azevedo

Poemas -Safo

Poemas Selecionados -Florbela Espanca

Poemas Traduzidos -Fernando Pessoa

Poesia e amor -Casimiro de Abreu

Poesia Litigiosa -Antônio Frederico de Castro Alves

Poesia Satírica e Versos de Circunstância -Emílio de Menezes

Poesias Colegiais -Antônio Frederico de Castro Alves

Poesias Coligidas -Antônio Frederico de Castro Alves

Poesias Coligidas -Antônio Frederico de Castro Alves

Poesias Completas -Laurindo José da Silva Rabelo

Poesias dispersas -Machado de Assis

Poesias Escolhidas -José Cândido de Lacerda Coutinho

Poesias -Francisca Julia da Silva

Poesias Inéditas -Fernando Pessoa

Poesias -Júlio Dinis

Poesias -Luis Delfino dos Santos

Poesias -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Poesias Manuscritas -Cláudio Manuel da Costa (Glauceste Satúrnio)

Poetas devem jogar poemas no lixo -Nelson Lima

Pois ante vós estou aqui -Dom Dinis

Pois mia ventura tal é ja -Dom Dinis

Pois não é?! -Casimiro de Abreu

Pois que diz meu amigo -Dom Dinis

Pois que vos Deus fez, mia senhor -Dom Dinis

Pois que vos Deus, amigo, quer guisar -Dom Dinis

Polêmicas e reflexões -Machado de Assis

Pombos mensageiros -Auta de Souza

Ponto de Vista -Machado de Assis

Ponto de Vista -Machado de Assis

Por Deus, amiga, pês-vos do gram mal -Dom Dinis

Por Deus, amigo, quen cuidaría -Dom Dinis

Por Deus, punhade de veerdes meu -Dom Dinis

Porca elegia -Salomão Rovedo

Possível e Impossível -Machado de Assis

Pouco a pouco o campo se alarga e se doura -Alberto Caeiro

Pouco me importa -Alberto Caeiro

Poverina -Artur Azevedo

Praz-m’ a mi, senhor, de morrer -Dom Dinis

Preguntar-vos quero por Deus -Dom Dinis

Primas de Sapucaia -Machado de Assis

Primaveras -Casimiro de Abreu

Primeiras Trovas Burlescas -Luiz Gonzaga Pinto da Gama

Primeiro Fausto -Fernando Pessoa

Primeiro prenúncio de trovoada de depois de amanhã -Alberto Caeiro

Primeiros Cantos -Antônio Gonçalves Dias

Primeiros Cantos -Antônio Gonçalves Dias

Produções Satíricas e Bocageanas de Bernardo de Guimarães -Bernardo Guimarães

Proençaes soen mui ben trobar -Dom Dinis

Profissão de fé -Olavo Bilac

Prólogos Interessantíssimos -Vários Autores

Prosa de Circunstância -Emílio de Menezes

Prosas Bárbaras -José Maria Eça de Queirós

Prosopopéia -Bento Teixeira

Prosopopéia -Bento Teixeira

Prosopopéia -Bento Teixeira

Prosopopéia -Bento Teixeira

Prosopopéia -Bento Teixeira

Puelina -Artur Azevedo





N – Biblioteca Domínio Público

29 09 2010

 

Na Academia Brasileira de Letras -Machado de Assis

Na Arca -Machado de Assis

Na Capelinha -Auta de Souza

Na estrada -Casimiro de Abreu

Na Exposição -Artur Azevedo

Na fonte -Antônio Frederico de Castro Alves

Na Horta -Artur Azevedo

Na margem -Antônio Frederico de Castro Alves

Na primeira página -Auta de Souza

Na rede -Casimiro de Abreu

Não basta abrir a janela -Alberto Caeiro

Não Consultes Médico -Machado de Assis

Não consultes Médico -Machado de Assis

Não é mel para a boca do asno -Machado de Assis

Não me importo com as rimas -Alberto Caeiro

Não posso contar meus males -Frei Caneca

Não sei o que é conhecer-me -Alberto Caeiro

Não tenho pressa -Alberto Caeiro

Não tenho pressa: não a têm o sol e a lua -Alberto Caeiro

Natal -Auta de Souza

Navio que partes para longe -Alberto Caeiro

Negra Rosa & Outros Poemas -José Neres

Nem sempre sou igual no que digo e escrevo -Alberto Caeiro

Nem uma nem outra -Machado de Assis

Never more -Auta de Souza

No álbum de Dolores -Auta de Souza

No álbum de Eugênia -Auta de Souza

No álbum de J. C. M. -Casimiro de Abreu

No álbum do artista -Antônio Frederico de Castro Alves

No barco -Antônio Frederico de Castro Alves

No dia brancamente nublado entristeço -Alberto Caeiro

No entardecer dos dias de Verão, às vezes -Alberto Caeiro

No jardim -Casimiro de Abreu

No Jardim das Oliveiras -Auta de Souza

No lar -Casimiro de Abreu

No leito -Casimiro de Abreu

No meu prato que mistura de Natureza! -Alberto Caeiro

No monte -Antônio Frederico de Castro Alves

No País dos Ianques -Adolfo Caminha

No país dos ianques -Adolfo Caminha

No Templo -Auta de Souza

No túmulo dum menino -Casimiro de Abreu

Noemi -Auta de Souza

Noite cruel -Auta de Souza

Noite de Almirante -Machado de Assis

Noite de São João -Alberto Caeiro

Noite na Taverna -Manuel Antônio Álvares de Azevedo

Noite na Taverna -Manuel Antônio Álvares de Azevedo

Noite na Taverna -Manuel Antônio Álvares de Azevedo

Noites amadas -Auta de Souza

Noivado -Casimiro de Abreu

Nom me podedes vós, senhor -Dom Dinis

Nom poss’eu, meu amigo -Dom Dinis

Nom sei hoj’, amigo, quem padecesse -Dom Dinis

Non chegou, madre, o meu amigo -Dom Dinis

Non sei como me salv’a mia senhor -Dom Dinis

Nos campos -Antônio Frederico de Castro Alves

Nostro Senhor, hajades bon grado -Dom Dinis

Nostro Senhor, se haverei guisado -Dom Dinis

Notas do dia: commemorando -Afonso Arinos

Notas Semanais -Machado de Assis

Notas Semanais -Machado de Assis

Nova Viagem à Lua -Artur Azevedo

Nova Viagem à Lua -Artur Azevedo

Novalis e Álvares de Azevedo: jovens poetas no mundo romântico dos sonhos -Elaine Cristina Carvalho Duarte

Novas relíquias -Machado de Assis

Novela e Conto -Amadeu Amaral

Novos Cantos -Antônio Gonçalves Dias

Num dia excessivamente nítido -Alberto Caeiro

Num leque -Auta de Souza

Num meio-dia de fim de primavera -Alberto Caeiro

Numa e a Ninfa -Afonso Henriques de Lima Barreto

Numa e a Ninfa -Afonso Henriques de Lima Barreto

Nunca busquei viver a minha vida -Alberto Caeiro

Nunca Deus fez tal coita qual eu hei -Dom Dinis

Nunca mais -Auta de Souza

Nunca sei -Alberto Caeiro

Nunca vos ousei a dizer -Dom Dinis





E – Biblioteca Domínio Público

29 09 2010

É noite -Alberto Caeiro

Écloga de Jano e Franco -Bernardim Ribeiro

Édipo-Rei -Sófocles

Eficiência Militar -Afonso Henriques de Lima Barreto

Elbow-Room – A Novel Without a Plot -Charles Heber Clark

Elefantes e Ursos -Artur Azevedo

Elogio da vaidade -Machado de Assis

Em busca dos contos perdidos -Mariza B. T. Mendes

Em gram coita, senhor -Dom Dinis

Em Sonhos -Artur Azevedo

En grave día, senhor, que vos oí -Dom Dinis

Encarnação -José de Alencar

Encarnação -José de Alencar

Encher tempo -Machado de Assis

Encontros Reveladores -Artur Azevedo

Ensaio Histórico sobre as Letras no Brasil -Francisco Adolfo de Varnhagen

Ensaio Histórico sobre as Letras no Brasil -Francisco Adolfo de Varnhagen

Entre 1892 e 1894 -Machado de Assis

Entre a juntura dos ossos. (Coleção literatura para todos; v. 5) -Vera Lúcia de Oliveira

Entre a Missa e o Almoço -Artur Azevedo

Entre a Missa e o Almoço -Artur Azevedo

Entre duas datas -Machado de Assis

Entre Marília e a pátria -Frei Caneca

Entre o que vejo -Alberto Caeiro

Entre Santos -Machado de Assis

Entre Santos -Machado de Assis

Entrei para o Clube Jácome -França Júnior

Epaminondas -Artur Azevedo

Epicédio -Cláudio Manuel da Costa (Glauceste Satúrnio)

Epitáfio — Se estiver nos meus fados a próxima extinção de meus dias -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

Ernesto de Tal -Machado de Assis

Ernesto de Tal -Machado de Assis

Erótica -Rafael Rodrigues Gomes

Esaú e Jacó -Machado de Assis

Esaú e Jacó -Machado de Assis

Esaú e Jacó -Machado de Assis

Esparsos e Inéditos -Emílio de Menezes

Espumas Flutuantes -Antônio Frederico de Castro Alves

Espumas Flutuantes -Antônio Frederico de Castro Alves

Espumas Flutuantes -Antônio Frederico de Castro Alves

Esta tarde a trovoada caiu -Alberto Caeiro

Estas quatro canções, escrevi-as estando doente -Alberto Caeiro

Estas verdades não são perfeitas porque são ditas -Alberto Caeiro

Este mundo da injustiça globalizada -José Saramago

Estes, que m’ora tolhem mia Senhor -Afonso Sanches

Estórias de Jenni -Voltaire

Estou doente -Alberto Caeiro

Estrada a Fora -Auta de Souza

Eterna dor -Auta de Souza

Eterna Mágoa -Augusto dos Anjos

Eterno! -Machado de Assis

Eu -Augusto dos Anjos

Eu e Outras Poesias -Augusto dos Anjos

Eu nasci além dos mares -Casimiro de Abreu

Eu nunca guardei rebanhos -Alberto Caeiro

Eu queria ter o tempo e o sossego suficientes -Alberto Caeiro

Eu sou a vida; eu não sou a morte -Qorpo Santo

Eurico, o Presbítero -Alexandre Herculano

Evolução -Machado de Assis

Ex Cathedra -Machado de Assis





D – Biblioteca Domínio Publico

29 09 2010

D. Benedita -Machado de Assis

D. Jucunda -Machado de Assis

D. Mônica -Machado de Assis

D. Paula -Machado de Assis

D. Paula -Machado de Assis

D. Pedro -Alexandre Herculano

Da Literatura fantástica (teorias e contos) -Marcio Cícero de Sá

Da mais alta janela da minha casa -Alberto Caeiro

Da mia senhor que eu servi -Dom Dinis

Da minha aldeia vejo quanto a terra -Alberto Caeiro

Dadá -Auta de Souza

Dalila -Antônio Frederico de Castro Alves

De cerúleo gabão não bem coberto -Manuel Maria de Barbosa du Bocage

De Cima para Baixo -Artur Azevedo

De Jerssey a Granville -Alexandre Herculano

De Joán Bol’and’eu maravilhado -Dom Dinis

De joelhos -Auta de Souza

De joelhos -Casimiro de Abreu

De Longe -Auta de Souza

De longe vejo passar no rio um navio -Alberto Caeiro

De mi vós fazerdes, senhor -Dom Dinis

De morrerdes por mi gram dereit’é -Dom Dinis

De muitas coitas, senhor, que levei -Dom Dinis

De que morredes, filha, a do corpo velido? -Dom Dinis

Decadência de dois grandes homens -Machado de Assis

Décima -Frei Caneca

Deito-me ao comprido na erva -Alberto Caeiro

Demônios -Aluísio Azevedo

Dentro da noite -João do Rio

Denúncia Involuntária -Artur Azevedo

Desalento -Auta de Souza

Desconexo desejo -Hilário Pio

Descrição da Ilha de Itaparica -Frei Manuel de Santa Maria Itaparica

Desencantos -Machado de Assis

Desespero -Antônio Frederico de Castro Alves

Despertar -Hermes Fontes

Deste modo ou daquele modo -Alberto Caeiro

Deus! -Casimiro de Abreu

Deveres do Homem -Ferdinando Medici

Diálogo dos ecos -Antônio Frederico de Castro Alves

Diálogos das Grandezas do Brasil -Izaak Walton

Diana -Machado de Assis

Diário íntimo -Afonso Henriques de Lima Barreto

Dias de guerra e de sertão -Visconde de Taunay

Dirceu de Marília -Joaquim Norberto de Souza e Silva

Discurso de Posse na ABL -Emílio de Menezes

Discurso sobre a História da Literatura do Brasil -Domingos Gonçalves de Magalhães

Discursos (obras completas) -Tobias Barreto de Menezes

Dispersão -Mário de Sá-Carneiro

Diss´a fremosa en Bonaval assí -Bernardo de Bonaval

Disse-m’hoj’un cavaleiro -Dom Dinis

Diva -José de Alencar

Diva -José de Alencar

Dívida Extinta -Machado de Assis

Dizede por Deus amigo -Dom Dinis

Dizem que em cada coisa uma coisa oculta mora -Alberto Caeiro

Dizes-me: tu és mais alguma cousa -Alberto Caeiro

Dizia la fremozinha -Afonso Sanches

Do Livro do Desassossego -Fernando Pessoa

Doente -Auta de Souza

Dois proveitos em um saco -França Júnior

Dolores -Auta de Souza

Dom Casmurro -Machado de Assis

Dom Casmurro -Machado de Assis

Dom Casmurro -Machado de Assis

Don Quixote. Vol. 1 -Miguel de Cervantes Saavedra

Don Quixote. Vol. 2 -Miguel de Cervantes Saavedra

Dona Eulália -Artur Azevedo

Dona Guidinha do Poço -Manuel de Oliveira Paiva

Dona Guidinha do Poço -Manuel de Oliveira Paiva

Dores -Casimiro de Abreu

Dos que ora son na hoste -Dom Dinis

Duas Apostas -Artur Azevedo

Duas Juízas -Machado de Assis