8 01 2013

paulo leminsk





Paulo Leminski

26 07 2012




PAULO LEMINSKI

3 08 2011

a noite – enorme
tudo dorme
menos teu nome

Paulo Leminski





RAZÃO DE SER – Paulo Leminski

22 11 2010

Escrevo. E pronto.
Escrevo porque preciso,
preciso porque estou tonto.
Ninguém tem nada com isso.
Escrevo porque amanhece,
E as estrelas lá no céu
Lembram letras no papel,
Quando o poema me anoitece.
A aranha tece teias.
O peixe beija e morde o que vê.
Eu escrevo apenas.
Tem que ter por quê?





ESTUPOR – Paulo Leminski

1 10 2010

Esse súbito não ter

Esse estúpido querer

Que me leva a duvidar

Quando eu devia crer

Esse sentir-se cair

Quando nao existe lugar

Aonde  se possa ir

Esse pegar ou largar

Essa poesia vulgar

Que não me deixa mentir





ÓPERA FANTASMA – Paulo Leminski

1 10 2010

Nada tenho.

Nada me pode ser tirado.

Eu sou o ex-estranho,

O que veio sem ser chamado

E, gato, se foi

Sem fazer nenhum ruído.