Azul

29 05 2010

AZUL

Tua voz me faz voar como águia no céu.
Nos olhos do universo a contemplar…. 
Sobre as nuvens, juntos, rompendo o véu. 
De palavra em palavra… soltos no ar. 

Maravilhados, com anjos dançando.
Nossas asas leves, em vôos discretos…
Sobrevoando as montanhas e cantando,
Revelando os mais desejos secretos.

Sonhos breves deslumbram como penas.
No esmalte azul do infinito se vão…
Voando pelas horas vagas, acenam.

Ao teu ritmo, meu coração, afino.
No teu suspirar… melodia,  canção.
Cenário às alturas, o nosso destino.

 Marli Savelli





in-Veja

24 03 2010

IN-VEJA

Enquanto está a procura de sua estrela,
Um dos pecados capitais aprecia.
Para alcançar faça por merecê-la.
Não se empenhe na maldade, repudia.

Prisioneiro atroz, busque a liberdade.
Contra mal olhado… escudo espelhado.
Calar-me? Não busco celebridade.
Tua criação acha-se no meu trilhado?

Ardileza! Pra quê tanta ambição?
Procure o antídoto de sua cobiça.
Veneno que corrói a alma, o coração.

Somos meros mortais, tente-se remir.
Escárnio atiça… tempo desperdiça.
A serpente do mal, quem há de exprimir?

Marli Savelli





Doce Paraíso

21 02 2010

DOCE PARAÍSO

Vento por entre as folhas da macieira.
Debaixo das árvores do jardim,
Convida-me a entregar por inteira.
Desfrutar do pecado carmesim.

Flores despertam no canteiro, lagos…
Um desejo envolvente,  de repente.
Paixão pulsa no peito, sonhos vagos…
Na nascente, encontro com a serpente.

Do pecador, devo seguir os rastros?
Ao Deus dos céus teme o meu coração.
Avisto o slide do Criador, seus astros.

O encanto do pecado, um unguento.
Minha boca murmura uma oração.
Ó Senhor! Clama minh’ alma em tormento.

Marli Savelli